Em nota, Lula destaca foi diagnosticado da doença em Cuba, mas que comunicou a doença apenas ao chegar no Brasil “para preservar sua família e dos demais infectados

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva | Foto: reprodução/ Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio “Lula” da Silva comunicou em suas redes sociais que foi diagnosticado com Covid-19, recebeu tratamento e já se recuperou da doença. Lula estava em Cuba entre os dias 21 de dezembro e 21 de janeiro para a gravação de um documentário.

No dia 26 de dezembro, Lula realizou o teste de RT-PCR, em que foi constatada a presença do vírus em seu corpo e em outros membros da equipe de filmagem. A nota informa que “todos permaneceram em isolamento sob vigilância sanitária, de acordo com diagnóstico, respeitando os protocolos do sistema de saúde cubano”.

A nota ainda afirma que “por estar fora do Brasil, o ex-presidente Lula decidiu comunicar a doença apenas na chegada ao país, para preservar sua família e dos demais infectados”. Foi informado também que o médico infectologista, ex-ministro da Saúde e deputado federal Alexandre Padilha, foi comunicado desde o início e acompanhou toda a evolução da doença, em contato direto e diário com os médicos cubanos.

O ex-presidente teceu elogios aos profissionais de saúde cubanos e elogiou seu sistema hospitalar. “Sentimos na pele a importância de um sistema público de saúde que adota um protocolo unificado, inspirado na ciência e nas diretrizes da OMS”.

Bolsonaro e vacinação

Lula também alfinetou a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao elogiar os profissionais de saúde brasileiros. “Quero estender as minhas saudações a todos os profissionais de saúde que se esforçam para fazer o mesmo aqui no Brasil, apesar da irresponsabilidade do presidente da República e do ministro da Saúde”.

O ex-presidente afirmou também que segue à espera da vacinação contra a Covid-19 e que irá continuar seguindo os protocolos de saúde para enfrentar a doença.

“Parabéns a todos que trabalham no sistema de saúde brasileiro, que estão cuidando com muito sacrifício do nosso povo. E a todos os pesquisadores dos institutos Butantan e Fiocruz, que trabalharam no desenvolvimento destas vacinas. Elas representam nossa única saída nessa pandemia que vitimou milhares de brasileiros”, conclui Lula.

As gravações para o documentário foram suspensas e adiadas para um momento mais oportuno, informa a nota.