Estudantes terão registro de biometria facial para uso do Passe Livre em Goiânia e região

O sistema compara as fotos de quem utilizou o serviço com a foto armazenada no cadastro. Caso as fotos não coincidam, o cartão é automaticamente bloqueado

Cartão do Passe Livre Estudantil │Foto: Divulgação

Começou nesta terça-feira , 5, o uso da biometria facial em alunos beneficiados pelo Passe Livre Estudantil no transporte coletivo de Goiânia e Região Metropolitana. A RedeMob Consórcio explica que o registro pode ser feito de forma automática nos ônibus, terminais ou estações.

Objetivo do recurso é garantir o uso correto do titular beneficiado, dessa forma o estudante deve, mesmo com a biometria, seguir usando normalmente o cartão. Ao todo, são quase 60 mil estudantes cadastrados.

Bloqueio automático

A câmera que captura a biometria facial é de alta resolução e registra fotos da pessoa no momento da validação do cartão. Ao ter a biometria registrada, o sistema compara as fotos de quem utilizou o serviço com a foto armazenada no cadastro. Caso as fotos não coincidam, o cartão é automaticamente bloqueado.

De acordo com a RedeMob Consórsio, desde janeiro quando a biometria facial foi implementada para idosos e deficientes, já foram bloqueados 20 mil cartões. No caso, o cartão é bloqueado por 30 dias, depois 60 dias e em seguida por 90 dias, podendo até chegar à perca do benefício.

A Rede Metropolitana de Transportes Coletivo  (RMTC) atua nos municípios de Abadia de Goiás, Aparecida de Goiânia, Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Bonfinópolis, Brazabrantes, Caldazinha, Goianápolis, Goianira, Guapó, Hidrolândia, Nova Fátima, Nerópolis, Nova Veneza, Santo Antônio de Goiás, Senador Canedo, Terezópolis e Trindade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.