Estudante da Cambury disse que era da Deic para extorquir

Universitário de Direito da faculdade ia receber dívida de R$ 1 mil, mas foi preso. Ele marcou encontro com a vítima na porta do Complexo de Delegacias Especializadas

A polícia considera uma audácia o crime cometido pelo estudante universitário Marciano Marcelo da Silva Barbosa, de 26 anos, preso na quinta-feira (7/5) após extorquir Diogo Augusto da Silva, 29, filho de um policial militar.

Estudante de Direito da Faculdade Cambury, Marciano se passou por policial civil da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) para cobrar uma dívida de R$ 1 mil. Ele tentava receber a quantia de uma conhecida que se envolveu em acidente de trânsito com Diogo há cerca de dois meses. A mulher ainda não foi identificada.

Nesse período, o preso enviou mensagens pelo aplicativo de mensagens Whatsapp pressionando para que a vítima o pagasse. Até que foi agendado encontro entre os dois na tarde de ontem, na porta do Complexo de Delegacias Especializadas, no Setor Cidade Jardim. Ele foi preso em flagrante.

Kleber Leandro Toledo Rodrigues, da Deic, é o delegado responsável pelo caso. Em entrevista ao Jornal Opção Online, disse que Marciano chegou a ameaçar Diogo de morte. “Ele [a vítima] ficou medo e abriu boletim de ocorrência. Marciano falou para o Diogo que ele estava demorando pagar e que ia atirar nele”, detalhou.

O golpe foi evitado com a prisão em flagrante do acadêmico. O valor seria pago em dinheiro por Diogo, que havia assumido o prejuízo do acidente com a mulher, ainda não identificada. Essa é a primeira passagem na ficha criminal de Marciano.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.