Estudante agredido por PM está consciente e respira sem auxílio de aparelhos

Mateus Ferreira continua internado na UTI do Hugo e foi diagnosticado com pneumonia

O estudante Mateus Ferreira da Silva | Reprodução: Facebook

O estudante Mateus Ferreira, agredido por um policial militar durante manifestação da greve geral em Goiânia, já respira sem auxílio de aparelhos. É o que apresenta o mais novo boletim médico, divulgado na tarde desta sexta-feira (5/5).

Segundo informa o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde está internado desde o dia 29 de abril, o jovem permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) humanizada, consciente e sem sedação, mas ainda sonolento.

Na última quinta-feira (4), Mateus Ferreira foi diagnosticado com pneumonia e segue em tratamento. Não há previsão para novos procedimentos cirúrgicos, nem sessões de hemodiálise.

Mateus foi agredido durante protesto contra as reformas do presidente Michel Temer (PMDB), no Centro de Goiânia. Imagens do momento da agressão mostram o policial acertando um cassetete no rosto do estudante.

A Polícia Militar (PM) de Goiás afastou das ruas o capitão Augusto Sampaio de Oliveira Neto, subcomandante da 37ª Companhia Independente, em Goiânia. Segundo o comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, coronel Divino Alves de Oliveira, o capitão continua exercendo funções administrativas.

Veja o boletim:

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) informa que Mateus Ferreira da Silva, nascido em 6 de abril de 1984, encontra-se estável, respirando sem auxílio de aparelhos e sem sedação. Está consciente, mas ainda sonolento e permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) humanizada do Hugo. Mantém quadro de pneumonia. Não há previsão para novos procedimentos cirúrgicos, nem sessões de hemodiálise. Paciente foi admitido no dia 28 de abril e foi submetido a cirurgia no último sábado, 29 de abril, com as equipes da Neurocirurgia e Bucomaxilofacial.

Assessoria de Imprensa do Hugo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.