“Estado precisa recuperar a capacidade de investir”, avalia o vice-governador Lincoln Tejota

O governo estadual pretende aprovar uma reforma específica para Goiás, que injetará cerca de R$ 8 bilhões no Tesouro estadual até 2028

Vice-governador Lincoln Tejota afirma que haverá desgaste, mas o resultado para a sociedade será maior | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O governo federal excluiu Estados e municípios da Reforma da Previdência aprovada na semana passada pelo Congresso, por isso o governo estadual pretende aprovar uma reforma específica para Goiás, que injetará cerca de R$ 8 bilhões no Tesouro estadual até 2028.

A ideia, segundo o vice-governador Lincoln Tejota (Pros), é recuperar a capacidade do Estado de investir recursos nos municípios, já que a previdência estadual consome R$ 230 milhões por mês para cobrir o déficit.

“A reforma n]ao vai resolver o problema da previdência estadual, mas vai amenizar. É um passo que não pode ser dado”, ressalta Tejota, ao lamentar que o Congresso Nacional tenha retirado as administrações estaduais e municipais do texto original enviado pelo Planalto.

“Diferentemente do que fizeram no Congresso, não fugiremos à nossa responsabilidade em não incluir os municípios. É um desgaste político que trará grande resultado para a sociedade”, pondera Tejota.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.