Estado de Goiás bate recorde e gera 100 mil novos empregos somente nos primeiros oito meses do ano

Saldo de empregos formais, na comparação com igual período de 2020, cresce 68,5%; número representa retomada da economia pós Covid-19

Nesta quarta-feira, 29, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgou que o saldo de empregos formais de agosto de 2021, em comparação com igual período do ano passado, cresceu 68,5% em Goiás. De janeiro à agosto de 2021, Goiás registrou saldo de 100.978 novos empregos, resultado de 469.706 admissões diante de 368.728 desligamentos.

Na região Centro-Oeste, Goiás segue se destacando com 51% à frente do segundo colocado, Mato Grosso, que acumula 66.817 empregos com carteira assinada, no mesmo período. Na sequência, aparecem Distrito Federal (41.143) e Mato Grosso do Sul (30.032).

Com a pandemia do Covid-19, medidas sanitárias tiveram que ser adotadas, como o isolamento social e o fechamento de atividades não-essenciais a sociedade. Esse ato causou uma grande onda de desempregos. Com o avanço da vacinação, Goiás dotou uma estratégia que foi a criação de uma secretaria específica para recuperação da economia, a Secretaria da Retomada, além de outras ações que resultaram em novos empregos.

O Titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), José Vitti, afirmou que “recuperar a economia depois de um tempo de dificuldades não é uma tarefa fácil. Mas a gestão em conjunto com todos os setores produtivos, em destaque serviços, indústria e comércio, é determinante para essa retomada”.

Ainda de acordo com o Caged, o setor de serviços em Goiás foi o que gerou maior número de empregos no mês de agosto, com saldo de 4.602 vagas. Comércio teve saldo de 2.833; indústria 2.822; construção 1.557; e agropecuária 147.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.