Especialista dá dicas de segurança para motoristas em dias de chuva intensa

Tenente Tiago Wening do Corpo de Bombeiros ensina como reagir em situações de perigo

Ponte da rua Nonato Motta, na Vila Redenção, durante temporal em Goiânia | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A chuva forte que caiu sobre a capital goiana nesta segunda-feira (30/1) surpreendeu goianienses e causou estragos em toda a cidade.  Bairros ficaram sem energia elétrica, árvores caíram, sinaleiros ficaram apagados e deixou o trânsito ainda mais complicado.

Mas, para algumas pessoas, a chuva intensa causou, além de transtorno, muito perigo. O Corpo de Bombeiros atendeu sete ocorrências de busca e salvamento de pessoas que estavam em situação de risco provocada pelo acúmulo de água.

Um motociclista que enfrentou a enxurrada, na 3ª radial no Setor Pedro Ludovico, acabou sendo arrastado pela água e morreu. O corpo foi encontrado cerca de 300 metros do local, pelos bombeiros.

Para evitar que situações como essa voltem a acontecer, o Tenente Tiago Wening do Corpo de Bombeiros dá algumas dicas de como reagir em situações de perigo provocadas pela chuva.

Motorista preso em automóvel

Quando a chuva é intensa, basta alguns minutos para que um grande volume de água fique acumulada em algumas vias da capital. Muitas vezes, os motoristas acabam enfrentando os alagamentos e tentam atravessar esses locais.

Mas, qual o limite do volume de água que o motorista deve respeitar e não enfrentar a enxurrada?

O especialista ensina: quando a água da chuva alcançar a linha média da altura do veículo, o carro tende a apagar porque entra água no escapamento.

“Quando isso acontece, a primeira reação das pessoas é abrir a porta e descer do carro, o que é um erro. Nunca se sabe o volume de água que está do lado de fora e o que tem por baixo dessa água. A pessoa pode acabar caindo em uma boca de lobo ou pisar em alguma fiação elétrica”, explica.

O tenente diz ainda que o mais recomendável nessas situações é ligar imediatamente no 193, pedir socorro e abrir o vidro do carro. Em último caso, se o volume de água estiver crescendo e colocando o interior do veículo em perigo, o condutor deve subir para o teto do veículo e aguardar o resgate.

Motociclistas

Motociclista atravessando ponte alagada em Goiânia | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

A situação de quem está de moto no trânsito e é pego de surpresa pela chuva é ainda mais delicada. Isso porque com o acúmulo de água nas ruas, o risco  de queda é grande.

“Se motociclista cair durante a chuva, ele pode ficar preso em uma boca de lobo ou até debaixo de outro veículo com perigo de afogamento”, exemplifica o especialista.

Na hora da chuva, quem estiver pilotando uma motocicleta, não deve, em nenhuma circunstância, trafegar em pontos alagados.

O mais recomendado, nesses casos, é achar um abrigo, uma edificação segura e esperar a chuva passar e o volume de água baixar.

“O motorista tem a mania de ‘achar que vai dar’. Esse ‘achar’ é muito perigoso e pode colocar a vida em risco”.

Pedestres

Para quem estiver a pé durante um temporal, a dica mais importante é: jamais tentar atravessar a enxurrada. Quando a chuva é intensa, a enxurrada é muito forte e arrasta facilmente quem decidir enfrentar a água.

Quem for tentar socorre uma pessoa em perigo, também deve tomar cuidado e não enfrentar a água da chuva. O mais aconselhável é tentar alcançar a vítima com objetos como cordas e sacos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.