Equipe de Temer debate aumento de impostos para 2017

Coluna Painel da Folha de S. Paulo registra divergência dentro do governo interino sobre carga tributária

Presidente interino Michel Temer e o ministro Henrique Meirelles propõem medidas que têm como “espelho” ações goianas | Foto Lula Marques/Agência PT

Presidente interino Michel Temer e o ministro Henrique Meirelles | Foto Lula Marques/ AGPT

Apesar de ter reiterado por diversas vezes que não planeja aumentar impostos no Brasil, o presidente interino Michel Temer (PMDB) dá sinais de que a medida é quase inevitável. Prova disso é que seus ministros, tanto da área econômica quanto da política, já debatem o assunto com a (e na) grande mídia.

Neste sábado (6/8), a coluna Painel, do jornal de maior circulação nacional, a Folha de S. Paulo, registra um “racha” entre as duas frentes do governo no que diz respeito à inclusão de aumentos já para o Orçamento de 2017 — que será enviado e votado pelo Congresso até o fim de agosto.

De um lado, o goiano Henrique Meirelles (PSD), na Fazenda, tenta cumprir a meta fiscal do déficit de R$ 140 bilhões; do outro, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), tenta apagar os incêndios políticos e, de quebra, evitar que a popularidade do interino caia (ainda mais).

Mexer na carga tributária terá reação negativa não só da população, mas também do próprio setor produtivo. As diversas confederações, federações e associações nacionais já avisaram que não aceitam a proposta. Nem os próprios deputados e senadores aliados ao Palácio do Planalto estão dispostos a isso.

Sem embargo, a coluna registra que técnicos do setor fiscal afirmam ser difícil não prever aumento de impostos para o ano que vem. Apesar de dar sinais de recuperação, a economia ainda amarga a recessão e tem um longo caminho de reestruturação pela frente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.