Enfraquecida, oposição mantém emendas polêmicas à reforma administrativa

Após serem rejeitados na CCJ, projetos complementares serão reapresentados em colegiado presidido por tucano

Vereadores Dra. Cristina (PSDB) e Elias Vaz (PSB): emendas vão ser mantidas | Fotos: Câmara Municipal

Vereadores Dra. Cristina (PSDB) e Elias Vaz (PSB): emendas vão ser mantidas | Fotos: Câmara Municipal

O relatório a ser emitido pela Comissão Mista da Câmara Municipal deve manter pelo menos quatro polêmicas emendas complementares ao projeto de reforma administrativa da Prefeitura de Goiânia — aprovado em primeira votação na semana passada.

O parecer que será apresentado na manhã de quarta-feira (27/5) vai defender a suspensão do pagamento das gratificações jetons, a redução de 12 para seis no número de servidores da Companhia de Processamento de Dados de Goiânia (Comdata, em processo de liquidação desde 2011), a manutenção do Fundo Municipal do Meio Ambiente e a extinção de todas as cinco secretarias extraordinárias.

Relator do projeto na Comissão Mista, Fábio Lima (PRTB) recebeu o projeto na última sexta-feira (22/5) e nega tentativa de atrasar o trâmite, já que o projeto não entrou na pauta do colegiado. “Acho que há chances de votar [em segunda e última votação] ainda na quinta-feira, 29. Até mesmo porque a base aliada está bem orquestrada”, relata, em entrevista ao Jornal Opção Online.

As derrotas nas votações da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) na semana passada baquearam a oposição. Os maiores golpes partiram de Paulo da Farmácia (Pros), que votou com a prefeitura.

Antônio Uchôa (PSL) disse à reportagem que o único objetivo da oposição é procrastinar o encaminhamento. “Acredito que será mantida a versão aprovada em primeira votação”, disse. A base reclama ainda que uma emenda não pode ser apresentada mais de uma vez ao projeto.

Thiago Albernaz (PSDB) é presidente da Comissão Mista e avalia que a derrota no colegiado e no plenário é iminente. “Por isso não vamos massificar o debate. Porém, julgamos de extrema importância as emendas que reduzem os gastos da máquina administrativa”, pontua.

Ainda fazem parte da comissão outros três oposicionistas — Dra. Cristina Lopes (PSDB), Djalma Araújo (SD) e Zander Fábio (PSL).

Está prevista para as 14 horas desta terça-feira nova audiência pública sobre o tema na Câmara, onde as emendas podem ser apresentadas até as 17 horas.

Leia mais:
Reforma prevê gasto mensal de R$ 3,5 mi com comissionados
Goiânia está parando? Entenda porque a Prefeitura não vai bem
Base reivindica oito alterações na reforma administrativa
Paço Municipal procura a base para manter projeto original
“Se cortar cargos, Paulo Garcia terá mais apoio da oposição do que sua base”
Reforma administrativa: base defende manutenção de incorporações

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.