Os empréstimos consignados do Auxílio Brasil realizados pela Caixa Econômica Federal (CEF) durante o período eleitoral de 2022 estão na mira da Controladoria-Geral da União (CGU). De acordo com informações publicadas pela jornalista Amanda Rossi, do Uol Notícias, 99% dos empréstimos teriam sido feitos durante o período eleitoral, o que daria indícios que esse dinheiro teria sido usado para beneficiar a campanha do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O formato exato da auditoria ainda não foi definido. No entanto, o caso também está sendo investigado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se condenado, Bolsonaro pode receber como penalidades multa e/ou se tornar inelegível. Na época, o ex-presidente chegou a usar o canal oficial de campanha para promover o consignado como um feito de seu governo.

Os empréstimos consignados do Auxílio Brasil foram iniciados no dia 10 de outubro, poucos dias depois do 1º turno das eleições. E antes do segundo turno, a Caixa teria concedido R$ 7,595 bilhões para 2,9 milhões de pessoas. Com o fim do período eleitoral, foram liberados R$ 77 milhões para empréstimos consignados de 53 mil pessoas.