Empresa lança campanha para arrecadar recursos para o Hospital Araújo Jorge

Cliente poderão fazer doações, em dinheiro, de a partir de um real, em todas as 150 lojas da rede no Brasil

Hospital Araújo Jorge  | Foto: Larissa Quixabeira

Hospital Araújo Jorge | Foto: Larissa Quixabeira

A rede de alimentação Fast Açaí lança, nesta segunda-feira (7/11), a segunda edição do projeto “Adicional de Solidariedade”, que tem como objetivo arrecadar recursos para o Hospital Araújo Jorge, referência no tratamento de câncer em Goiás.

Inspirada nos adicionais normalmente disponíveis para incrementar açaís, a campanha permitirá que, até o dia 30 de janeiro de 2017, consumidores contribuam com a causa social “acrescentando” uma doação à entidade. Serão aceitos valores apenas em dinheiro, a partir de um real, com emissão de comprovante no cupom fiscal aos doadores, informa a empresa.

“Pode parecer pouco, mas se unirmos esforços podemos fazer a diferença. Em nossas lojas, considerarmos o público médio que frequenta todas espalhadas pelo Brasil, esperamos fazer uma grande arrecadação”, diz um dos sócios da franquia, Frederico Junqueira.

A campanha tem abrangência nacional, nas 130 lojas que há no país, que recebem entre 250 mil e 300 mil pessoas.

Deuba Assunção, gestora de arrecadação da Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG), entidade mantenedora do Hospital Araújo Jorge, explica que a ajuda será direcionada aos assistidos que dependem doações para manter o tratamento, e também para a aquisição de materiais hospitalares, de higiene pessoal, entre outras necessidades.

Este é o terceiro ano em que a empresa colabora com a instituição de saúde. Em 2014 a Fast promoveu a arrecadação de brinquedos aos pacientes nas lojas, que foram entregues às crianças internada. Em razão da parceria, os diretores da franquia receberam o selo Empresa Amiga das mãos dos diretores do Araújo Jorge durante o lançamento da campanha 2015.

Crise

O hospital Araújo Jorge, maior referência do tratamento de câncer em Goiás, convive hoje com um déficit de R$ 23,4 milhões. No início do agosto, o a diretoria do hospital anunciou que poderia inclusive suspender o atendimento em algumas áreas devido à crise financeira pela qual passa a instituição.

Desde então, a ACCG está empenhada em uma campanha para conseguir mais verba junto aos poderes públicos para cobrir o rombo nas despesas do hospital. Cerca de 20 mil pessoas participaram de um abaixo-assinado e o documento foi apresentado ao ministro da Saúde. Além disso, a campanha promoveu um abraçaço, ato simbólico no qual cerca de 1 mil pessoas abraçaram o Hospital Araújo Jorge em solidariedade à causa.

Muitas delas, entre artistas, cantores, profissionais da imprensa, formadores de opinião, internautas vestiram a camisa da campanha e postaram vídeos nas redes sociais como forma de estimular a sociedade a participar da mobilização.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, prometeu liberar cerca de R$ 9 milhões anuais em recursos para a área de oncologia em Goiânia. O anúncio foi feito durante reunião do ministro com parlamentares goianos e o presidente da Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG), Paulo Moacir de Oliveira Campoli, em Brasília, no dia 10 de outubro.

O dinheiro advém de processo de complementação financeira, da ordem de R$ 24 milhões que tramita no ministério desde 2013. Destes, o ministro garantiu que cerca de 40% serão destinados à Goiânia,o que beneficia o Hospital Araújo Jorge, entre outras unidades de saúde.

Como o processo ainda está em tramitação, não há previsão de quando o repasse passará a ser feito, mas o ministro garantiu que dará prioridade ao assunto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.