Em três anos, R$ 200 milhões serão investidos nas escolas Sesi e Senai, diz Sandro Mabel em evento

2º Encontro do Ecossistema Goiano de Inovação contou com participação de empresários e representantes do movimento Aliança pela Inovação, do poder público e de universidades

Escola Sesi Senai Jardim Colorado | Foto: Sesi Goiás

Com o objetivo de construir soluções e aplicá-las às discussões sobre Cidades Inteligentes, Transformação Digital e Implantação do 5G, o Conselho Temático de Desenvolvimento Tecnológico de Inovação (CDTI) da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) promoveu o 2º Encontro do Ecossistema Goiano de Inovação. O evento ocorreu nesta quarta-feira, 25, e contou com participação de representantes do movimento Aliança pela Inovação, do poder público e de universidades.

Presente na abertura do encontro, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, destacou o esforço do Sistema Indústria em preparar os jovens de hoje para os desafios da indústria e da sociedade do futuro. Para essa preparação, Mabel ressalta os R$ 200 milhões em investimentos que estão previstos para os próximos três anos nas escolas Sesi e Senai em Goiás e a formação de 100 mil pessoas em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para viabilizar a implantação do 5G e outros avanços da Indústria 4.0.

“A velocidade com que a transformação digital vem mudando relações de consumo, de trabalho, relacionamentos pessoais, e educação exige de nós uma atualização constante. É um processo contínuo de aprendizagem e compartilhamento de informações, de atualização de tecnologias e análise de tendências”, afirmou Sandro Mabel.

Já o superintendente do Sebrae de Pernambuco, Francisco Saboya, listou as competências que os atuais líderes precisam desenvolver para garantir a sobrevivência dos negócios diante do processo disruptivo que consumidor vem experimentando nos últimos anos. “A transformação digital não se compra e é um processo inadiável e urgente que precisa ser construído de maneira muito diligente. A velocidade de crescimento do comércio eletrônico prova isso. Somente na plataforma Amazon foram mais de 5 bilhões de visitas no último ano. Alguém conhece uma loja física que tenha, de longe, essa quantidade?”, indagou Saboya.

Diretor do Media Lab da Universidade Federal de Goiás (UFG), Cleomar Rocha destacou a necessidade de as cidades estarem preparadas para crescer e responder às demandas de convivência que o futuro exige. “Saúde, segurança, meio ambiente, educação. Todos esses itens específicos que caracterizam uma sociedade são problemas sociais, e não de governantes. É preciso que a sociedade esteja convidada e preparada de forma mais inteligente para propor soluções para os problemas apontados”, afirmou o professor.

O presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, também abordou o impacto do 5G na vida das pessoas e nos negócios, avaliando como a maturação do ecossistema 5G “implicará em uma multitude de possibilidades. Dados apresentados pela Anatel estimam o impacto econômico que o 5G vai promover em todo o mundo.

Isso, porque é esperado aumento de até US$ 2 trilhões ao PIB Global por catalisar o processo de conectar mais pessoas aos fluxos globais de informação, comunicação e serviços. Além disso, a tecnologia deve gerar US$ 12,3 trilhões de produção econômica até 2035, por suportar outras atividades econômicas, sendo US$ 5 trilhões somente nos setores de manufatura, transporte, construção, serviços públicos e mineração. No Brasil, o 5G deve incrementar cerca de 1% ao PIB em média por ano, entre 2021 e 2035, somando R$ 5,5 trilhões nos próximos 15 anos.

Confira a transmissão do 2º Encontro do Ecossistema Goiano de Inovação na íntegra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.