Em parceria com FBI, PF prende maiores hackers brasileiros em Goiânia

No Brasil, mandados estão sendo cumpridos também em Belo Horizonte. No total, são mais de 60 prisões no mundo inteiro

Em operação deflagrada em conjunto com a Cyber Division do FBI, a Polícia Federal (PF) cumprem na manhã desta terça-feira (14/7) mandados de prisão contra mais os maiores hackers brasileiros. No total, estão sendo cumpridos 62 mandados no mundo inteiro. Essa é a maior operação de cooperação internacional da área cibernética realizada até hoje.

A investigação da PF teve início em março deste ano após identificação de hackers brasileiros no fórum Darkode, que deu nome à operação. O Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF identificou também o dono da maior “botnet” ativa do país oferecendo, por R$ 25 mil mensais por usuário, uma plataforma completa para fraudes bancárias através do uso de internet banking.

De acordo com a PF, os criminosos teriam criado uma empresa de segurança biométrica como fachada para contratarem programadores que pudessem desenvolver e atualizar o sistema fraudulento.

Os envolvidos podem responder por associação criminosa, furto qualificado por fraude, entre outras condutas criminosas. Medidas judiciais têm como objetivo colher informações sobre a participação de cada membro, além de rastrear e recuperar o maior valor possível do dinheiro desviado através do sistema falso.

Darkode é o nome de um fórum internacional criado em 2007 no qual os maiores e mais especializados hackers se reuniam. Nesse fórum, os criminosos negociavam dados de cartões de crédito, ferramentas, credenciais, vulnerabilidades, listas de e-mails e outras informações usadas em crimes cibernéticos.

Mais de 18 países também participam da operação, entre eles Israel, Alemanha, Reino Unido, Romênia — onde foi preso o maior número de investigados, um total de 16 pessoas –, Bósnia, Sérvia, Índia, Suécia, Dinamarca e Colômbia.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.