Governo de Goiás garante continuidade do Bolsa Universitária

Programa da OVG atende mais de 26 mil estudantes no Estado

Foto: Reprodução

Em nota emitida nesta quinta-feira (27/9), o governo de Goiás garante a continuidade do programa Bolsa Universitária, que atende, atualmente, mais de 26 mil alunos em todo o Estado.

Nesta sexta-feira (28/9), informa o comunicado, serão repassados às instituições de ensino R$ 10,23 milhões, totalizando pagamentos de R$ 27 milhões nos últimos três meses. Desta forma, não haverá prejuízos para os estudantes e nenhum risco de descontinuidade.

O programa demanda investimentos mensais de aproximadamente R$ 8 milhões. O secretário da Fazenda, Manoel Xavier, afirma que, com o repasse desta semana, restará um saldo devedor de R$ 35 milhões, que será pago nos próximos três meses. “Ao longo dos últimos 20 anos do programa, já tivemos momentos como esse, sempre honramos e vamos continuar honrando os compromissos assumidos”, destaca.

De acordo com o secretário, o governo tem uma relação de parceria com as instituições de ensino superior. “Temos uma relação aberta. Elas são de essencial importância para o desenvolvimento do Estado. Por isso, quero tranquilizá-las. Todo saldo devedor será quitado. Não haverá prejuízos para os empresários, muito menos para os estudantes”, enfatiza.

Em duas décadas de existência, o Programa Bolsa Universitária foi desenvolvido pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), com o suporte financeiro do Governo do Estado e já beneficiou mais de 190 mil estudantes em Goiás desde que foi criado, em 1999.

A iniciativa tem como público-alvo universitários comprovadamente sem condições de custear as mensalidades em uma instituição particular de ensino superior. O Bolsa Universitária é compatível com sistemas de crédito como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e com outras bolsas como as do Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação.

O Bolsa Universitária concede bolsa parcial destinada a estudantes com renda bruta familiar mensal de até seis salários mínimos e bolsa integral para universitários com renda bruta familiar de até três salários mínimos. Como contrapartida, o estudante deve prestar serviço em instituições governamentais e não governamentais, com carga horário compatível com seus afazeres escolares e trabalho. A contrapartida é a oportunidade de atuar em favor de pessoas que necessitam de ajuda e, também, é a chance de aprendizado na área de atuação escolhida.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.