Em meio ao caos na Saúde, vereadores dão ultimato a Iris

Integrantes da comissão que investiga área se reúnem com prefeito para avisá-lo dos supostos crimes e esperam ação. Caso contrário, terá de aguentar consequências

CEI da Saúde em reunião na Central de Regulação da Prefeitura de Goiânia | Foto: Divulgação

Os vereadores que compõem a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga o caos na Saúde pública de Goiânia, a CEI da Saúde, vão se reunir com o prefeito Iris Rezende (PMDB) para dar um ultimato sobre a gestão da secretária Fátima Mrué à frente da pasta.

Na terça-feira (14/11), os parlamentares apresentarão provas de supostos crimes cometidos pela auxiliar, que estaria utilizando recursos carimbados do Fundo Nacional de Saúde para outras finalidades. Com isso, hospitais particulares conveniados estão reduzindo a oferta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois não recebem o valor complementar que deveria ser repassado pela Secretaria Municipal de Saúde.

“Convocamos o secretário de Finanças [Alessandro Melo] para prestar esclarecimentos sobre a situação e exigiremos os dados de todos os repasses efetuados deste janeiro deste ano. Temos informação de que apenas 50% do valor tem sido pago e isso é gravíssimo, é crime de responsabilidade”, explicou ao Jornal Opção o presidente da CEI, Clécio Alves (PMDB).

Segundo o peemedebista, que é aliado de primeira hora de Iris Rezende, a reunião desta segunda-feira (13), que ouvirá o responsável pelas contas do município, não será encerrada, apenas suspensa. Na terça (14), será reaberta no gabinete do prefeito, no Paço Municipal.

“Vamos avisá-lo dos crimes que essa secretária, a secretária da morte, tem cometido. Ele decide o que vai fazer. Queremos que a lei seja cumprida, apenas isso. Se isso não acontecer, aí haverá consequências graves e irreversíveis para ele. O prefeito precisa saber. Não vamos esperar daqui seis meses para tomar providências. Se não fizermos, quem estará cometendo crimes somos nós, prevaricando”, garantiu.

Questionado sobre quais “providências” ele espera que Iris tome, o vereador se mostrou descrente, mas não acredita na demissão de Fátima Mrué. “Próprio prefeito, em várias oportunidades, diz que secretária é o maior achado da vida dele, uma joia rara, um diamante, a melhor pessoa do mundo, mais preparada, mais confiável, mais profissional”, ironizou.

Mesmo assim, o vereador fez questão de dizer o prefeito não sabe da situação — que poderia culminar em uma suspensão dos repasses do Fundo Nacional de Saúde e até mesmo um processo de cassação por improbidade administrativa — daí a importância da reunião. “Me recuso a acreditar que Iris não vá tomar uma posição, sou amigo e o conheço a vários anos, tenho certeza que jamais se submeteria a omissão ou faria de conta que nada está acontecendo diante dos fatos tão graves”, arrematou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.