Em meio a vaias, José Nelto ataca governo e avisa: “A oposição está muito viva”

Escolhido como orador da bancada oposicionista, deputado peemedebista apontou falhas na administração do governador Marconi Perillo

José Nelto (PMDB) usou o discurso para atacar o governador Marconi Perillo | Foto: Marcello Dantas / Jornal Opção

José Nelto (PMDB) usou o discurso para atacar o governador Marconi Perillo | Foto: Marcello Dantas / Jornal Opção

Em um duro discurso, o peemedebista José Nelto falou em nome da oposição na posse dos deputados estaduais, neste domingo (1º/2). Em meio a vaias e gritos de “derrotado” e “dor de cotovelo”, ele atacou o governo Marconi Perillo (PSDB), garantindo que não darão descanso ao tucano: “A oposição não morreu. Está viva, muito viva”.

Diretamente do plenário da Assembleia Legislativa, José Nelto começou afirmando que não fazia parte de seus planos voltar para aquela Casa, mas que “volta com humildade e maturidade”, com o objetivo de construir um projeto para 2016. “Vamos convencer o povo de que é importante a alternância de poder. A mudança é indispensável para que possamos tirar Goiás da mesmice e monotonia instaurada há 16 anos”, revelou.

O peemedebista acusou a atual administração de promover um “apagão de inteligência”, “eternizando erros” que prejudicam a todos os goianos. De acordo com ele, a Assembleia será uma “trincheira” para que os planos oposicionistas sejam mostrados: “Precisamos de novas ideias, de uma alternativa de estado. Repudiamos este governo de vacas sagradas que estão aí penduradas há tanto tempo”.

Durante todo o discurso, o presidente da Alego, Hélio de Sousa (DEM), teve que pedir para os presentes que respeitassem o direito à fala do deputado. Era possível escutar gritos, como “derrotado” e “dor de cotovelo”, além de vaias — que acompanharam o peemedebista até o final do discurso.

Ao apontar erros do governo estadual, José Nelto mencionou o que ele chama de “festa de aditivos” na Agência Goiana de Transportes e Obras , em referência aos supostos 150 aditivos publicados, segundo ele, no Diário Oficial apenas em dezembro de 2014 e janeiro deste ano para obras estaduais. “Que governo é este?”, questionou várias vezes.

Também entrou na mira do oposicionista a crise vivida pelo Departamento de Trânsito de Goiás, Detran-GO: “Não funciona. Desde 2013 passa por uma auditoria do Denatran. Depois de 16 dias de recesso, voltou com atendimento parcial, dificultando a vida dos goianos. Eu sei bem o que é isto, pois estou há 25 dias tentando emplacar meu carro”.

José Nelto acusou, ainda, o governo de Goiás de faltar com transparência e viver “fora da Era Digital”. “Precisamos de uma administração que não se esconda atrás de sites e portais defasados e confusos”, criticou. Na mesma linha, ele afirmou que a própria Assembleia é uma “caixa-preta” e que é “uma vergonha” as viagens internacionais realizadas pelos deputados as custas do órgão.

“Um choque de ética”, definiu o parlamentar como a principal prioridade da oposição.

O peemedebista atacou, ainda, a “Lei Friboi”, que, de acordo com ele, concedeu perdão fiscal a um grupo milionário enquanto os municípios sofrem com a falta de recursos. “O Estado está parado, o governo está com pé no freio”, lamentou.

“Estamos cansados dessa arrogância governamental. É preciso entender que ter a maioria não significa que a população lhe deu um cheque em branco”, arrematou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.