Em julgamento de liberdade de Lula, Gilmar Mendes defende soltura do ex-presidente

Ministro argumenta que o réu pode aguardar em liberdade o julgamento do pedido de habeas corpus

Foto: Reprodução/ TV Folha

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga, nesta terça-feira, 25, liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, diante de possível anulação de ações penais contra ele. Isso sob a suspeita de que o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro não tenha sido imparcial no julgamento. 

Já no começo da sessão, o ministro Gilmar Mendes defendeu a soltura do petista. Segundo ele, o ex-presidente deve aguardar em liberdade o julgamento do pedido de habeas corpus proferido por sua defesa diante da possibilidade de parcialidade por parte de Moro.

A sessão ganha mais relevância e notoriedade depois do vazamento de conversas entre o agora Ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o chefe da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, à época das investigações. 

Assim, o julgamento foca na atuação de Moro na condução do caso do triplex do Guarujá, São Paulo, em que Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. 

O caso é votado na Segunda Turma do Supremo desde 2018 e já conta com dois votos contra a liberdade do ex-presidente, proferidos por Edson Fachin e Carmém Lúcia. Resta, agora, os votos de Ricardo Lewandowski e de Celso de Melo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.