Em Goiás, Dia do Aposentado e da Previdência Social será marcado com manifestações

A data, comemorados todos os anos em 24 de janeiro, serão lembrados no País com mobilizações

Por iniciativa do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência Social de Goiás e Tocantins – SINTFESP-GO/TO, será realizado nesta segunda-feira, 24, às 9 horas, na Praça do Bandeirante, em Goiânia, um ato público em defesa dos direitos da Seguridade Social (Saúde, Previdência e Assistência Social) e de políticas públicas que reconheçam os direitos da população, em especial da mais vulnerável.

O Dia Nacional do Aposentado e o Dia Nacional da Previdência Social, comemorados todos os anos em 24 de janeiro, serão lembrados no País com mobilizações. Mas a programação alusiva às datas começou na sexta-feira, dia 21, com um carro de som circulando nas principais unidades do INSS e Ministério da Saúde da capital e a distribuição do mesmo manifesto aos trabalhadores e segurados do INSS. No domingo, dia 23, a panfletagem foi feita na Feira Hippie.

Na carta, o SINTFESP-GO/TO e demais entidades que a subscrevem ressaltam: o financiamento da Seguridade Social está previsto na Constituição Federal e, para garantir que a Previdência Social seja sustentável financeiramente, “basta que o Estado Brasileiro seja mais responsável e faça uma gestão qualificada dos recursos” da Seguridade Social. “O grande problema é que no Brasil temos um alto grau de sonegação fiscal das empresas que recolhem as contribuições dos trabalhadores e trabalhadoras e não as repassam para o Fundo Previdenciário. Além disso, há frauds de quadrilhas organizadas que assaltam todo o sistema, gerando rombos astronômicos e de toda natureza contra o INSS”, enfatiza o Manifesto. 

No dia 24, na Praça do Bandeirante, as entidades organizadoras do ato público também vão denunciar à população o que motiva o represamento, no País, de quase 1,8 milhão de requerimentos ao INSS, quase 50 mil deles do estoque represado em Goiás e outros 12 mil do Tocantins. Duas seriam as principais dificuldades para a conclusão de processos junto à autarquia: a falta de atendimento presencial, que facilita ao segurado entender com maior facilidade o que precise providenciar para ter acesso ao seu direito; e a falta de servidores – o déficit de pessoal no INSS é da ordem de 50% atualmente. Outro problema são as condições de trabalho.

A atividade tem o apoio do Fórum Goiano em Defesa dos Direitos, da Democracia e da Soberania (que reúne dezenas de organizações da sociedade civil), da Central Única dos Trabalhadores (CUT-GO), da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-GO), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS) e da Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (FENASPS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.