Em Goiás, ave rara é redescoberta após quase 100 anos ‘extinta’

O pássaro foi visto em 16 de dezembro do ano passado, mas a redescoberta só foi divulgada esta semana, após publicação de artigo científico na revista “Bulletin of the British Ornithologists’ Club”

Subespécie da ave saíra-de-cabeça-azul foi descoberta em 1929 | Foto: Divulgação/Marcelo Kuhlman

Em Goiás, um pássaro raro foi redescoberto após quase 100 anos ‘extinto’. Ave que só tinha sido avistada no ano de 1929, foi vista novamente no dia 16 de dezembro do ano passado na mata de uma fazenda localizada na Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso de Goiás. A redescoberta só foi divulgada esta semana, após publicação de artigo científico na revista “Bulletin of the British Ornithologists’ Club”.

A subespécie saíra-de-cabeça-azul (Stilpnia cyanicollis albotobialis) estava se alimentando de frutos de uma árvore quando foi avistada por uma equipe que realizava expedição na área próximo ao rio Miguel.

A ave tem sete subespécies, sendo duas encontradas no Brasil e cinco nos Andes. As que vivem no Brasil são a Stilpnia cyanicollis albotobialis, encontrada até agora apenas na Chapada dos Veadeiros, e a Stilpnia cyanicollis melanogaster, presente na Amazônia brasileira e na região Oeste de Goiás.

Existe um conservado por taxidermia, que foi coletado pelo naturalista José Blazer e está na coleção do Field Museum of Natural History, em Chicago (EUA).

A descoberta recente é obra do naturalista Estevão Freitas Santos, que pesquisa, há mais de oito anos, a interação entre a fauna e a flora brasileira, e do biólogo Marcelo Kuhlmann, da Universidade de Brasília.

Equipes se preparam para voltar ao local no mês de dezembro, na mesma época que avistaram a ave para explorar uma área maior para tentar descobrir se existem outros indivíduos de saíra e novas descobertas.

*Com informações do UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.