Em encontro com governador, deputados do PSDB tratam de formatação da oposição em 2019

Bancada tucana pretende impedir fim às emendas impositivas, articulado por governo eleito

Divulgação

O governador José Eliton reuniu, na tarde desta quarta-feira (17/10), os atuais deputados estaduais do PSDB e os eleitos para a próxima legislatura para pedir empenho às matérias do Executivo que serão enviadas ao Legislativo nesse final de ano, repassar informações sobre o processo de transição de governo e debater o papel de oposição que o partido adotará a partir de janeiro próximo.

“A transição será a mais republicana e transparente possível. Já definimos a nossa equipe, publicamos o decreto com as principais normas legais e aguardamos agora a definição de qual será a equipe do governador eleito para darmos início aos trabalhos”, afirmou José Eliton aos deputados.

“O PSDB tem a responsabilidade de, a partir do próximo ano, defender os legados dos seus governos em Goiás e fazer uma oposição responsável. Não devemos seguir a linha de quanto pior, melhor. Devemos trabalhar a favor do desenvolvimento do Estado, da geração de empregos e da melhoria na qualidade de vida dos goianos. Deveremos, também, fiscalizar o governo, apontar possíveis equívocos e cobrar as promessas de campanha. É um trabalho que exige união e comprometimento de todos do partido”, frisou o governador aos deputados estaduais tucanos.

Deputado estadual reeleito, Talles Barreto afirmou que o primeiro passo será reestruturar o PSDB e destacou que, na Assembleia, a oposição defenderá as gestões do ex-governador Marconi Perillo e do governador José Eliton.  “Um governo que tem o legado que nós temos, ninguém pode tirar. Construímos uma bonita história em Goiás”, observou.

Talles também criticou a articulação de emissários do governador eleito para colocar fim às emendas impositivas, considerada por ele como o maior legado da atual legislatura. “É inadmissível emissários do governo, na primeira sessão posterior às eleições, fazerem campanha para suspender as emendas impositivas. Isso para nós é muito triste, porque é como burlar a independência dos poderes”, observou.

Também reeleito, Diego Sorgatto afirmou que o momento é de reconstrução do PSDB e de defesa das gestões dos governos tucanos em Goiás. Para ele, o papel do PSDB a partir de janeiro deverá ser o de “fiscalizar e cobrar o que foi prometido”. “Também valorizar os legados de Marconi e José Eliton. O que eu puder fazer para defendê-los, farei, porque conheci de perto o trabalho deles, o poder de articulação, a capacidade de gestão”, emendou.

Deputado eleito, Tião Caroço assegurou que o PSDB vai manter uma oposição firme, fiscalizadora e respeitosa. “Não vamos fazer como alguns deputados da oposição fazem nesta legislatura. O PSDB, como oposição nos governos do PMDB em Goiás, foi atuante nas cobranças e na vigilância das ações do Estado, mas sempre de forma republicana, sem radicalismos ou baixarias”, frisou.

Na avaliação do deputado Jean Carlo, o PSDB precisa se reinventar. “O recado foi dado pela população não só em Goiás, mas no País inteiro, e é uma sigla que precisa se reinventar para poder continuar existindo. No caso específico de Goiás, precisamos mostrar o legado que Marconi e José Eliton deixaram para o nosso estado e que os governos do PSDB trouxeram para Goiás. Isso é fato comprovado. Cabe a nós continuarmos firmes para que o partido sobreviva, que tem história com o País e com o nosso estado”, assinalou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.