Em 2019, três pessoas já morreram por meningite em Goiânia

Dados da Secretária Municipal de Saúde (SMS) apontam registro de 32 casos na capital. Morte de menino 9 anos pode estar ligada à doença

Foto: reprodução

Enquanto segue investigando a morte de um menino de 9 anos por suspeita de meningite, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirma que até o último levantamento, 32 casos da doença foram registrados em Goiânia neste ano. O número de óbitos confirmados em razão da doença chega a três casos, número que pode crescer caso a investigação confirme que a morte do menino está ligada à doença.

Apesar do número expressivo, não há aumento de casos em comparação com o ano passado, quando a SMS registrou 64 casos, com oito óbitos.

Em março deste ano, quando centros de vacinação como os da Unimed registraram aumento em mais de 300% na procura por vacinas, a Secretaria já afastava a hipótese de epidemia, apontando os comparativos ano a ano.

Conforme aponta  a superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, a rede pública de saúde possui quatro tipos de vacinas contra a doença e podem ser encontradas em todas as salas de vacina de Goiânia.

A doença

A meningite é uma inflamação das membranas que envolvem o cérebro. Existem diversos tipos de meningite. Entre as mais severas estão a pneumocócicas e meningocócicas.

A maioria dos casos de meningite é provocada por vírus ou bactérias, mas a doença também pode ser transmitida via fungos. Entre os sintomas estão febre alta repentina, forte dor de cabeça, pescoço rígido, vômitos, náusea, confusão mental e dificuldade de concentração, convulsões e sonolência. Ao apresentar os sintomas o recomendado é a procura imediata a atendimento médico.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.