Eleição para procurador-geral de Justiça de Goiás ocorre nesta segunda-feira

Estão aptos a votar no chefe do Ministério Público de Goiás 384 membros do MP; atual procurador-geral, Lauro Machado Nogueira, é o único candidato

Foto: reprodução/Ascom MPGO

Membros do Ministério Público de Goiás podem votar até as 17h | Foto: reprodução/Ascom MPGO

A eleição para procurador-geral de Justiça de Goiás foi aberta às 8h desta segunda-feira (9/2) e segue até as 17h na sala do Colégio de Procuradores de Justiça, no edifício-sede do Ministério Público estadual (MP). Um total de 384 membros do MP estão aptos a votar. Concorre ao cargo um único candidato, o atual procurador-geral de Justiça Lauro Machado Nogueira.

No início da votação, o fechamento da urna foi realizado pela comissão eleitoral, que é presidida pelo procurador Pedro Tavares Filho e integrada pelos procuradores Dilene Carneiro Freire e Aylton Flávio Vechi. Acompanhou o procedimento o promotor Glauber Rocha Soares, o primeiro a chegar para a votação.

De acordo com o procurador, o fato de nenhum outro colega ter lançado candidatura mostra o reconhecimento pelo trabalho que ele e sua equipe fizeram durante o último biênio. Segundo ele, no próximo biênio (2015-2017), a Procuradoria deve manter a linha da administração e “intensificar o apoio aos promotores”.

Lauro Machado Nogueira vai concorrer a um novo mandato | Foto: Ascom MPGO

Lauro Machado Nogueira vai concorrer a um novo mandato | Foto: Ascom MPGO

Lauro fez um balanço de sua atuação, que considera positiva. Para ele, o que demonstra a qualidade do trabalho foi a quantidade de operações ao crime organizado, como a Tarja Preta que apurou fraudes em licitações para a compra de medicamentos e equipamentos hospitalares em prefeituras goianas e a Poltergeist, que investigou servidores fantasma na Câmara de Vereadores de Goiânia e na Assembleia Legislativa de Goiás.

Além disso, o chefe do MP de Goiás destacou que assim que ele assumiu o cargo o MP ofereceu denúncia contra o ex-senador Demóstenes Torres, algo que vinha sendo cobrado, e acabou “cortando da própria carne”, já que Demóstenes é procurador de Justiça.

O procurador-geral deve começar a discutir novas metas para o próximo biênio já no semestre que vem. Ele afirmou que a instituição está em um “momento de harmonia, confiança entre os colegas”, o que é “muito importante” para que ele e sua equipe possam realizar o que planejam.

Após o resultado, o nome do procurador será encaminhado ao governador Marconi Perillo (PSDB) a quem cabe a nomeação do chefe do Ministério Público para o biênio 2015-2017.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.