Eleição do PMDB estadual acontecerá sem impugnação de diretórios municipais

Comissão Provisória do partido em Goiás se reuniu na noite de quinta-feira (4/2) e derrubou os 67 pedidos apresentados pela chapa do candidato Nailton Oliveira

Eleição do diretório estadual acontecerá com delegados dos 146 diretórios municipais autorizados a votar

Eleição do diretório estadual acontecerá com delegados dos 146 diretórios municipais autorizados a votar

Em três horas e 20 minutos de reunião, a Comissão Provisória do PMDB estadual decidiu nesta quinta-feira (4/2) derrubar os 67 pedidos de impugnação de diretórios municipais apresentados pela chapa do candidato a presidente do diretório estadual, o ex-prefeito de Bom Jardim de Goiás Nailton Oliveira.

O presidente da comissão provisória, deputado federal Pedro Chaves, o deputado federal e candidato a presidente do Diretório Estadual do PMDB Daniel Vilela, os deputados estaduais José Nelto, Adib Elias e Ernesto Roller, Nailton e a ex-deputada federal Íris de Araújo, a Dona Íris, se reuniram a partir das 19 horas de quinta-feira no diretório estadual, no Setor Aeroporto, encontro que só acabou às 22h20.

Marconi Pimenteira, advogado do PMDB Goiás, afirmou que por uma “falha insanável de defeito de representação”, o colegiado da comissão provisória não reconheceu os 67 pedidos de impugnação apresentados por Nailton contra diretórios municipais. “O advogado que propôs as impugnações não juntou o instrumento de procuração. Daí porque elas não foram conhecidas e formam mantidos os registros de todos os diretórios impugnados.”

De acordo com o advogado, o sumiço de documentos dos diretórios municipais verificado pela comissão provisória no diretório estadual foi resolvido. “Todos os diretórios que foram objeto desse extravio juntaram todos os documentos, de tal sorte que a convenção será realizada dentro da maior normalidade”, explicou Pimenteira.

Com a decisão de não impugnar diretórios municipais, o processo eleitoral do diretório estadual segue normalmente, com início das eleições às 9 horas desta sexta-feira (5/2) e previsão de término da votação às 15 horas. A eleição acontece no diretório estadual, que montou uma tenda na rua, em frente à sede do PMDB goiano.

O candidato Nailton Oliveira, em conversa com seu advogado após a reunião, analisava a possibilidade de entrar na Justiça contra a decisão da comissão provisória de derrubar as 67 impugnações de diretórios municipais.

Nesse espaço foram colocadas oito faixas de apoio ao candidato Nailton Oliveira por filiados do partido até a noite de quinta-feira.

Confusão

Depois da confusão ocorrida em 27 de janeiro no mesmo local, quando documentos de diretórios municipais sumiram, apenas um dos envolvidos na briga daquele dia estava no diretório estadual: o presidente da juventude do PMDB Pablo Rezende. Naquela data, o segurança do deputado estadual Paulo Cezar Martins chegou a disparar um tiro que atingiu o teto do diretório.

Paulo Cezar e seu segurança não acompanharam a reunião. Pablo e outros 14 filiados do PMDB aguardaram a conclusão do encontro da comissão provisória nos corredores do diretório.

“Passado”

Relator dos processos de impugnação, o deputado estadual José Nelto entendeu que os pedidos eram inconsistentes. Para ele, a briga da semana passada “ficou no passado”.

“Aconteceu com uma pessoa que não é filiada do partido (segurança de Paulo Cezar Martins). Nós não voltamos ao passado, queremos andar para a frente e preocupados com o futuro do PMDB. O novo PMDB que nós vamos eleger amanhã (sexta)”, declarou José Nelto.

Ele explicou que houve divergência de opinião sobre os casos de impugnação de diretórios municipais durante a reunião da comissão provisória estadual. “Houve todas as votações com decisão por dois terços (2/3). Faz parte do debate”, afirmou.

Número de diretórios

Para a eleição do diretório estadual acontecer nesta sexta-feira, o partido precisava ter já formados um terço (1/3) de diretórios municipais. Com 246 municípios em Goiás, o estatuto do PMDB exige que ao menos 82 diretórios municipais existam para que seja autorizada a votação.

Mesmo que os 67 diretórios municipais que tiveram pedidos de impugnação apresentados pela chapa de Nailton Oliveira, ou parte deles, fossem impedidos de participar das eleições, o PMDB tem hoje mais do que 1/3 de diretórios municipais formados.

Com a decisão da comissão provisória nesta quinta-feira, os delegados dos 146 diretórios municipais existentes hoje podem votar no diretório estadual do PMDB.

Candidatos

“Eu e o Nailton temos uma relação excepcional, é um grande companheiro do partido, já foi nosso presidente. Tenho todo respeito e sei da legitimidade de ele apresentar (os pedidos de impugnação) e acho que vai ser uma grande festa para o partido”, declarou o Daniel Vilela.

Para o deputado federal, o PMDB sairá da eleição desta sexta-feira “bastante motivado, coeso e unido” para as próximas eleições municipais e estaduais em Goiás independente de quem vencer a disputa pelo diretório estadual.

Já Nailton disse estar confiante na vitória. “Eu conversei com todos os membros do partido, mostrei as minhas propostas. Entendemos que o PMDB tem que tomar um novo rumo.”

Para o ex-prefeito de Bom Jardim de Goiás, a briga da semana passada é “lamentável”, tratada por Nailton como algo “arcaico” e “política de 1930”. “Hoje você busca as ideias, a inovação, não é com agressão física e até tiro dentro do diretório. Para a sociedade é um mau exemplo os líderes políticos que querem chegar a governar o partido, chegar a fazer parte de uma executiva, é lamentável ter esse princípio de fazer esse tipo de coisa reprovável.”

Segundo Nailton, Daniel tem um futuro promissor em sua carreira política e a disputa será democrática. “Eu não quero ser presidente de um PMDB dividido, eu quero ser presidente do Daniel, do Iris, do Maguito, da Dona Íris, de todos”, pontuou.

O Jornal Opção tentou falar com Dona Íris e Adib Elias, que não quiseram dar entrevista.

Deixe um comentário