Eleição da nova Mesa Diretora da Câmara será realizada no dia 1º de fevereiro e de forma presencial

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) defendeu votação remota para grupo de risco, mas sem sucesso. A votação poderá reunir até três mil pessoas em local fechado e com pouca ventilação

Deputado Rodrigo Maia (DEM). │Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu nesta segunda-feira, 18, que a eleição para o comando da Casa acontecerá no dia 1º de fevereiro. Porém, ficou estabelecido também que a votação será feita de forma presencial para todos os deputados, sem possibilidade de votação remota para aqueles que se encaixam como grupo de risco.

Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara, foi quem anunciou a notícia. O deputado defendeu o votação remota para o grupo de risco e que a votação fosse realizada no dia 2, sem obter sucesso. O relator dessa questão, deputado Mário Heringer (PDT), havia proposto flexibilizar a votação para os deputados e deputadas que se encontram no grupo de risco, mas a maioria dos integrantes da Mesa foi contra.

Segundo Rodrigo Maia, no dia da eleição, está prevista a circulação de aproximadamente 3 mil pessoas no prédio da Câmara, em um momento de aumento da segunda onda. “Os prédios são de pouca circulação. Quanto menor a circulação de ar, maior o risco de contaminação. Por isso, defendemos a votação remota para proteger deputados e deputadas e os funcionários da Casa”, afirmou Maia.

Impeachment e CPI

Questionado sobre os pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, que dependem do despacho de Maia para prosseguir, o presidente da Câmara afirmou que o momento atual não é de discussão do impeachment e que o foco do Parlamento precisa ser o combate à pandemia e seus efeitos sociais e econômicos.

Porém, Maia destacou que não há como fugir da investigação, por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), sobre a desorganização na gestão da saúde no período da pandemia. “É inevitável que tenhamos uma CPI da Câmara ou do Congresso, mais à frente. Certamente, essa investigação vai chegar aos responsáveis por toda essa desorganização, falta de logística”, disse o deputado.

[Essa matéria conta com informações da Agência Câmara de Notícias]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.