Educação Física pode ser disciplina obrigatória em todos os sistemas do ensino básico

Projeto de lei do deputado estadual Humberto Aidar visa a construir hábitos saudáveis e ajudar a combater a obesidade

Deputado estadual Humberto Aidar | Foto: Divulgação

Projeto de Lei que visa a tornar obrigatória a disciplina de Educação Física na educação básica no Estado de Goiás foi apresentado na Assembleia Legislativa de Goiás, nesta quarta-feira, 17. Caso aprovado, o PL nº 1904/19, de Humberto Aidar (MDB), se aplicará ao sistema público e particular do Estado.

O deputado estadual justificou sua matéria afirmando que a iniciativa tem intuito de garantir o direito dos alunos à atividade física, experimentação motora e valores dos esportes. Segundo Aidar, isso “só é possível através das aulas de Educação Física, sendo orientados dentro da escola por profissional capacitado e devidamente habilitado”.

O parlamentar ainda pondera que a prática dos exercícios orientada por profissional pode reduzir a evasão escolar e contribuir para construir hábitos saudáveis, ajudando a combater a obesidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mônica Vieira de Souza

Essa proposta é excelente mas me faz pensar em outras questões… Educação Física já é obrigatória em todas as fases de ensino. É lei nacional… Só falta aplicar. Simples. E não deve ser somente no Goiás, mas no Brasil inteiro! E mais, educação física não é fundamental apenas nas escolas… Pelo mesmo objetivo, temos que alcançar os hospitais, o SUS/NASF, . Enfim, atividade física é saúde. Diminui as doenças, é melhora a vida de todos…

Daniel Carreira Filho

o senhor deputado desconhece a Lei de diretrizes e bases da educação ?
A Educação Física é componente da Educação Básica, ou deixou de ser????

Procrie - Centro de Referência em Iniciação Esportiva

Desde 2009 venho pesquisando sobre a Educação Física e Esportes nas escolas. Resumidamente, eis o que “descobri”: 1) Não basta ter aulas EF, pois os professores são mal preparados – não sabem a prática, e “empurram” as teorias -, especialmente na matéria imprescindível quando se iniciam, a Psicologia Pedagógica; 2) As faculdades têm currículos defasados, repetem o que leram há muito; 3) A Neurociência cognitiva veio para ficar: quem saberá construir um novo currículo em bases científicas? 4) A antiga dicotomia entre Teoria e Prática ainda não foi solucionada: “Não se pode criar a experiência, é preciso passar por ela”.… Leia mais