“É válida e necessária”, diz tucano sobre aproximação Anselmo e Paulo Garcia

Thiago Albernaz avalia aproximação entre presidente tucano e prefeito petista | Foto: Alberto Maia/Câmara de Vereadores

Albernaz avalia aproximação entre presidente tucano e prefeito petista | Foto: Alberto Maia/Câmara de Vereadores

Desde o início da atual legislatura é visível a aproximação entre o presidente da Câmara de Vereadores de Goiânia, Anselmo Pereira (PSDB), e o prefeito da capital, Paulo Garcia (PT).

Tem até vereador fiel da base aliada questionando: “Vocês jornalistas já viram o Anselmo se rebelar contra a prefeitura? Acho que eles foram a Roma para que o Papa Francisco selasse o matrimônio entre os dois. Antes, era só um romance”, comentou um apoiador petista.

Para o tucano Thiago Albernaz, a situação é fácil de ser entendida. “Ele [Anselmo] é presidente de um poder e precisa dialogar com o chefe do Executivo para que as pautas sejam de conhecimento de ambos e aconteçam aqui dentro. É válido e necessário, mas é claro que precisa criar meio termo junto à base aliada para que possa ter governabilidade”, avalia.

Segundo o jovem vereador, a oposição na Câmara atua com consistência e responsabilidade, o que estaria refletindo em leis mais vantajosas para a população. Mas deixa o toque: “É necessário um pouco mais de diálogo interno na Câmara e isso a gente consegue discutir e resolver internamente”.

Após eleito à presidente da Casa em dezembro com apoio do Bloco Moderado e de aliados da prefeitura, Anselmo adiantou que a atuação do Poder Legislativo diante do prefeito no biênio 2015-2016 seria reformulada.

Leia mais:
Anselmo anuncia mudanças na Câmara e avisa: “Paulo Garcia vai ter que aprender a ouvir”
Em ato falho, Anselmo sugere filiação de Tayrone ao PSDB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.