Primeira fábrica de mosquitos da dengue transgênicos é inaugurada em Campinas

A tecnologia pode ajudar a reduzir o número de casos de dengue no país 

Aeds ae

Aedes aegypti

A primeira fábrica de mosquitos Aedes aegypti transgênicos do Brasil foi inaugurada nesta terça-feira (29/7), em Campinas (SP), pela empresa britânica Oxitec. Se aprovada, a tecnologia mudará geneticamente os mosquitos machos que não poderão procriar, o que fará com que os números de casos de dengue no país reduza.

A fábrica ainda precisa da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para começar a comercialização dos insetos. Se o Brasil aprovar a comercialização será o pioneiro no ramo. O método foi liberado para testes na Bahia pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), e registrou uma queda de 90% no numero de mosquitos selvagens no local onde os transgênicos foram usados.

O método foi desenvolvido no Reino Unido em 2002. Para criar os insetos transgênicos, os ovos dos Aedes aegypti recebem uma microinjeção de DNA com dois genes: um para produzir uma proteína que impede seus descendentes de chegarem à fase adulta na natureza, chamado de tTA, e outro para identificá-los sob uma luz específica.

Depois desse processo, os machos geneticamente modificados são liberados na natureza,  para procriar as fêmeas normais  – que são responsáveis pela incubação e transmissão do vírus da dengue. Elas vão gerar descendentes que morrem antes de chegarem à vida adulta, reduzindo a população total.

O processo pode custar de R$ 2 milhões a R$ 5 milhões para uma cidade com 50 mil habitantes, de acordo com a Oxitec. A manutenção do serviço chega a R$ 1 milhão pelos anos seguintes.

Uma resposta para “Primeira fábrica de mosquitos da dengue transgênicos é inaugurada em Campinas”

  1. Avatar André Ruas de Aguiar disse:

    Que curioso! A data de referencia para o inicio da comercialização bate com a data de crescimento da epidemia no Brasil, 2002, quando saimos de 450 mil casos registrados em 2001, para 820 mil em 2002(http://saude.hsw.uol.com.br/dengue1.htm). Será que foi mera coincidência?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.