“É a primeira vez que vejo um governador vender um patrimônio e investir nos servidores”, diz líder sindical

Presidente do Sintego. Bia de Lima, elogiou medida tomada por Ronaldo Caiado de repassar dinheiro da venda da Celg T para previdência do Estado

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, elogiou a medida que o governo do Estado tomou em investir os recursos da venda da Celg T na previdência do Estado. A sindicalista afirmou que era contrária a privatização, mas que foi surpreendida ao saber que os recursos seriam aplicados em benefício dos servidores.

“Eu sou contra privatização, mas eu vou ter que me calar, porque foi a primeira vez que eu vi o governador vender um patrimônio – a Celg GT – e colocar os recursos no fundo de previdência. Assim vai melhorar a questão previdenciária dos aposentados e aposentadas”, disse a representante sindical.

A isenção da contribuição previdenciária dos aposentados e pensionistas já havia sido anunciada pelo governador, nesta quinta-feira, 14, durante o leilão da Celg T, em São Paulo, mas foi reafirmado em evento que marcou as comemorações do Dia do Professor, nesta sexta-feira, 15. Ronaldo Caiado anunciou na manhã que irá encaminhar à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, uma emenda constitucional que isentará 100% da contribuição previdenciária de todos os aposentados e pensionistas que recebem até R$ 3 mil.

Previdência

Essa medida, irá beneficiar diretamente, 18 mil segurados da previdência estadual, o que corresponde à 31% dos 57 mil aposentados e pensionistas civis do Estado de Goiás. Eles deixarão de ter descontados 14,25%. Entre os beneficiados com isenção total, 14 mil são ex-servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e 1.900 da Secretaria de Estado de Saúde.

Além disso, todos os demais segurados que recebem acima de R$ 3 mil também serão atingidos pela medida, já que para esse grupo a contribuição passará a ser feita acima do excedente de R$ 3 mil, e não sobre o valor total do benefício.

“Eu governo para as pessoas. Eu ouço as pessoas andando pelas ruas, nos municípios, ali o cidadão expressa aquilo que está vivendo”, disse o governador Ronaldo Caiado nesta segunda ao relatar o caso de uma aposentada que passava por dificuldades financeiras e o abordou no interior do Estado.

Segundo o presidente da Goiás Previdência (GoiasPrev), Gilvan Cândido da Silva, os estudos técnicos solicitados pelo governador visaram alcançar aposentados e pensionistas de todas as categorias. Por exemplo, quem contribuía com R$ 413,25, com a nova medida passará a contribuir com R$142,50 reais. Uma redução de mais de 65%.

De acordo com o presidente da GoiasPrev, a situação da previdência encontrada pela atual gestão em 2019, era de salários atrasados e risco de parcelamento dos pagamentos de aposentadorias, como chegou a acontecer em alguns estados da federação. A tendência crescente de déficit da previdência implicava em maiores aportes do Tesouro Estadual e menos recursos destinados a prestação de serviços públicos.

Outra situação grave, era um regime em que os servidores ativos eram menores, em números, do que os inativos e pensionistas. Diante desse cenário, o Governo do Estado por meio da GoiasPrev, realizou uma reforma da previdência, nos mesmos moldes da reforma realiza pela União, e que foi aprovada em dezembro de 2019.

Com a aplicação das novas regras, houve a ampliação da base de contribuição, a partir do salário mínimo, o que foi importante para estabilizar a grave situação da previdência. Após o decorrer de dois anos, houve uma desaceleração da trajetória de crescimento do déficit da previdência dos servidores civis.

Em 2020, a previdência estadual vivenciou uma situação inédita: o último semestre do ano apresentou uma redução no déficit em comparação com o mesmo período de 2020.

Gilvan Cândido afirma, ainda, que “todo o esforço empreendido ao longo dos últimos 33 meses, tem criado condições para o avanço do projeto de devolver Goiás aos goianos, e a diminuição do aporte do Tesouro na folha de pagamento dos aposentados e pensionistas, para aplicar em políticas públicas, faz parte deste propósito”.

Com a medida anunciada nesta sexta-feira (15/10), o valor arrecadado será reduzido em R$174 milhões. Em compensação, foi reduzida a despesa prevista em R$ 27 milhões. O resultado dessa conta implicará num impacto de R$ 147 milhões para o Tesouro Estadual. “Mesmo com esses custos, o anúncio mostrou que temos um governador comprometido com a qualidade de vida do cidadão, em especial com os nossos aposentados e pensionistas”, ressaltou o presidente da Goiás Previdência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.