Estado vai bancar conclusão da nova sede da Assembleia

Presidente da Casa, Helio de Sousa estima investimentos que beiram os R$ 75 milhões. Marconi Perillo acompanhou o democrata em visita ao canteiro de obras da construção

Presidente Helio de Sousa recebe governador Marconi Perillo | Foto: Carlos Costa/Assembleia Legislativa

Presidente Helio de Sousa recebe governador Marconi Perillo | Foto: Carlos Costa/Assembleia Legislativa

O presidente da Assembleia Legislativa, Helio de Sousa (DEM), garantiu que recursos do duodécimo do Poder Executivo serão destinados para a conclusão da obra da nova sede da Casa, no Setor Parque Lozandes, em Goiânia, na manhã desta sexta-feira (28/11), durante visita técnica com o governador Marconi Perillo (PSDB).

O duodécimo se refere ao repasse mensal de recursos orçamentários pelo Poder Executivo para o Poder Legislativo, já que este não possui formas de arrecadação.

Segundo o presidente da Casa, Helio de Sousa, recentemente foi firmado um compromisso para que a Assembleia recebesse os recursos em sua totalidade. Em entrevista ao Jornal Opção Online, ele aponta que seriam gastos cerca de R$ 3,5 milhões por mês. “Oficializamos com o governador e o repasse será feito de maneira total, provavelmente a partir de janeiro de 2015”, adiantou. O total dos repasses chegaria a R$ 75 milhões para os próximos dois anos, prazo determinado para conclusão da obra.

Marconi Perillo também afirmou que não haverá repasses diretos dos fundos do Tesouro Estadual. Antes, o Helio de Sousa manifestava a necessidade de receber recursos do Tesouro. No entanto, disse que havia se expressado mal. O democrata sublinhou ainda que a Casa não tinha cronograma de gastos e, por isso, não fazia previsão com o que seriam gastos. “Como não tínhamos metas a cumprir, não cobrávamos, e nem era repassado tudo que deveria. Agora, vamos usar a totalidade que a Assembleia tem direito”, declarou.

Segundo o presidente, 30% dos trabalhos estão finalizados, com previsão de entrega em 2016. As obras tiveram início em 2005 e deveria estar funcionando desde 2008. No entanto, pararam em 2013 por falta de recursos. Agora, estima-se que fique pronta em 2016. Os trabalhos foram retomados ainda em 2013 e o orçamento inicial era de R$ 52 milhões. Hoje, soma R$ 80 milhões.

O edifício vai contar com quatro elevadores panorâmicos e dois de carga. Cada um dos 41 deputados terá seu gabinete, além das salas que serão ocupadas pela Mesa Diretora. A região já abriga ou vai abrigar sedes de vários outros órgãos, como o Fórum de Goiânia, o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e dos Ministérios Público de Goiás (MPGO) e Federal (MPF-GO).

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.