Duas vítimas do acidente no Mutirama seguem internadas no Hugo

Criança de 9 anos, que sofreu lesões no rim e no fígado; e mulher de 56 anos, que teve a perna esmagada, estão em observação

Duas vítimas do acidente em um brinquedo no Parque Mutirama seguem internadas no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). A garota L.G.J., de 9 anos, e Iraci Francisca da Conceição, 56, estão em observação pela equipe médica.

De acordo com o último boletim divulgado na manhã desta quinta-feira (27/7), o estado de saúde de ambas é regular, mas estável.

A criança está consciente e respirando de forma espontânea, mas ainda na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois teve um trauma abdominal fechado, com lesões no fígado e rim direito, com hemorragia interna. L.G.J. ainda ficará internada pelas próximas 72 horas.

Já Iraci Francisca da Conceição, que teve uma perna esmagada durante a queda do brinquedo, passou por uma cirurgia de reconstrução muscular e, até agora, não teve nenhum membro amputado. Ela também ficará na UTI do Hugo por pelo menos 72 horas.

Tragédia

Na tarde da última quarta-feira (26), 11 pessoas ficaram feridas, sendo três em estado grave, após um brinquedo no Parque Mutirama quebrar e arremessar visitantes no chão.

Segundo informações preliminares, a atração chamada “Twister”, que eleva cabines no ar e gira, sofreu uma pane, jogando as pessoas ao chão. Vídeos postados nas redes sociais mostram o desespero de quem estava no local após o ocorrido.

Responsável pelo Mutirama, o diretor Frank Fraga classificou o ocorrido como uma “tragédia” e garantiu que a manutenção é feita periodicamente. Segundo ele, o parque não seria fechado e seguiria funcionando normalmente.

No entanto, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), que esteve no parque ainda na última quarta-feira (26), anunciou que o Mutirama seria fechado por tempo indeterminado até que as autoridades fizessem um laudo sobre a situação dos brinquedos.

O Conselho Regional de Engenharias (Crea-GO) abriu uma sindicância para apurar a tragédia e deve produzir um laudo técnico nos próximos dias. A Polícia Científica de Goiás também esteve no parque para avaliar as causas da suposta pane no “Twister”.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.