Diretor de presídio é afastado por permitir festas e que presos dirigissem viaturas

Polícia Civil indiciou responsável por unidade prisional, vigilantes penitenciários e supervisor de segurança, no âmbito da Operação Cela Livre

Polícia Civil

A Polícia Civil de Inhumas remeteu ao Poder Judiciário o inquérito policial referente à Operação Cela Livre, que culminou no indiciamento de dez vigilantes penitenciários temporários, do supervisor de segurança do presídio local, Romeu Carlos Pereira Filho, e do diretor da unidade, Igor de Oliveira Filho, pela prática dos crimes de peculato, prevaricação e favorecimento real.

A operação foi deflagrada no dia 6 de setembro e cumpriu diversos mandados de busca e apreensão nas residências de vigilantes penitenciários e nas dependências da unidade prisional. As investigações apontaram para a realização de festas irregulares que estariam sendo realizadas no local.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, responsável pelas investigações, as provas na fase pré-processual demonstraram indícios fortes da existência de festas com a ingestão de bebidas alcoólicas promovidas no interior da unidade prisional, contando com a participação de detentos. Os presos ainda tinham privilégios dentro da prisão, dirigiam viaturas e utilizavam aparelhos celulares.

Deixe um comentário