Diretor da SMS pede demissão e acende alerta sobre possível debandada

Segundo a secretaria, Cláudio Tavares entregou o cargo por motivos pessoais. Especula-se, contudo, que imbróglio sobre chamamento de médicos pode ter pesado na decisão

O diretor de Gestão de Redes de Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Cláudio Tavares, entregou seu cargo nesta quarta-feira (29/3) em meio à turbulência pela qual passa a secretaria. Segundo o órgão, Cláudio alegou motivos pessoais e de saúde para deixar sua função na pasta.

No entanto, em meio à polêmica envolvendo o novo chamamento público de médicos, os rumores são de que Cláudio não será o único a deixar o barco. Há relatos de que pode haver uma debandada por conta do reflexo negativo da liberação de edital para o preenchimento de vagas nas áreas de Urgência, Ambulatório e Estratégia em Saúde da Família.

A polêmica envolvendo o chamamento se dá porque a classe médica avalia seus termos como precários e prejudiciais do ponto de vista trabalhista. Entre os pontos mais controversos estão as multas em caso de faltas, a redução de salários em termos reais e a impossibilidade de escolha de onde trabalhar.

Este chamamento envolve os 480 profissionais que tiveram seus contratos suspensos na semana passada pela SMS, e que, de acordo com a pasta, deverão aderir à nova proposta caso queiram continuar prestando serviços.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.