Dilma se diz “impressionada” com situação das famílias atingidas pela chuva em SP

Presidente sobrevoou região na manhã deste sábado (12/3) e anunciou medidas para atingidos

Dilma e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (à dir.) | Foto: Roberto Stuckert / PR

Dilma e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (à dir.) | Foto: Roberto Stuckert / PR

A presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que ficou “impressionada” com a situação das famílias atingidas pelas chuvas entre as últimas quinta (10) e sexta-feiras (11) nas cidades de Franco da Rocha, Francisco da Rocha e Mairiporã, localizadas ao norte da grande São Paulo.

Pela manhã, a petista sobrevoou as áreas atingidas, reuniu-se com o governador, Geraldo Alckmin (PSDB), e prefeitos das cidades atingidas na Escola Superior de Bombeiros, em Franco da Rocha, e visitou o centro cultural da cidade, onde estão abrigadas 50 pessoas.

Dilma destacou o fato de a topografia da cidade ser muito íngreme, o que, por si só, deixa os moradores vulneráveis a desastres ambientais, como deslizamentos de terra. “Fiquei impressionada porque a cidade ‘inteirinha’ é muito íngreme”, disse.

Os desabrigados poderão se cadastrar na terceira fase do Programa Minha Casa Minha Vida, anunciou ela. Para essas cidades, estavam destinadas 1,1 mil unidades nas fases anteriores do programa, mas todas foram distribuídas ou cadastradas. Na etapa 3, o programa tem a meta de entregar três milhões de moradias até 2018.

A presidenta fez um apelo, afirmando que as manifestações populares previstas para amanhã (13) devem ser tratadas com respeito. “Faço um apelo pela paz, vivemos em um momento em que as pessoas têm o direito de ir às ruas e a violência não deve existir de nenhum lado”.

Dilma deixou a cidade por volta das 12h30 e retornou a Brasília. (As informações são da Agência Brasil)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Welbi Maia Brito

A presidentA Dilma não pode vir logo após a tragédia por estar ocupada prestando solidariedade ao ex-presidente Lula pelo pedido de prisão feito pelo MP. Ao menos ela não demorou 7 dias para sobrevoar a área, como fez após o rompimento da barragem em Mariana. Diferente do governador Geraldo Alckmin, que ontem cancelou toda sua agenda para visitar as cidades da Grande São Paulo atingidas pelas fortes chuvas de ontem e comandar pessoalmente as ações de regate e auxílio aos desabrigados.