Dilma diz que Levy foi “mal interpretado” e que ministro ficou “bastante triste” com episódio

No Pará para entregar casas do programa Minha Casa Minha Vida, presidente afirmou, ainda, ter “discernimento” e que Levy teria explicado o ocorrido “exaustivamente”

Dilma sai em defesa de Levy: "mal interpretado" | Foto: reprodução / vídeo

Dilma sai em defesa de Levy: “mal interpretado” | Foto: reprodução / vídeo

A presidente Dilma Rousseff (PT) saiu em defesa do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, nesta segunda-feira (30/3). Em coletiva de imprensa em Campanema, no interior do Pará, a petista pos panos quentes no mal-estar gerado por Levy que, na semana passada, disse que ela “nem sempre age da maneira mais eficaz, mesmo sendo bem intencionada”.

“Não tenho o que falar sobre Levy. O que o Levy falou está dentro de um contexto. Se você pegar fora do contexto, vai entender distorcido. Eu li e também tenho discernimento. Eu tenho clareza que ele foi mal interpretado. Tenho clareza disso”, rebateu ela.

Dilma relatou, ainda, que o ministro teria ficado “bastante triste” com a maneira como “a mídia” teria divulgado a informação. “Ele explicou pessoalmente exaustivamente o ocorrido. Ele falou que nós, e agradeço o elogio dele, acha que fazemos imenso esforço para fazer o ajuste”, complementou.

Contudo, nos bastidores, a presidente teria ficado irritada com a fala de Levy e escalado o ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante, para transmitir “a bronca”. Conforme mostrado na Folha de S. Paulo, o responsável pela Fazenda afirmou, em palestra da escola de negócios da Universidade de Chicago: “Acho que há um desejo genuíno da presidente de acertar as coisas, às vezes, não da maneira mais fácil… Não da maneira mais efetiva, mas há um desejo genuíno”.

No último sábado (28/3), Levy acusou a Folha de “tirar a frase de contexto” e reclamou da interpretação.

Veja o vídeo:

Deixe um comentário