Dilma chama pedidos de impeachment de “pedaladas políticas”

A presidente afirmou que não existem acusações suficientes para derrubar seu governo

Brasília-DF 28-07-2015 Brasília/DF Lula Marques/ agência PT. Presidenta , Dilma participa do Encontro de trabalho - Pronatec Jovem Aprendiz na micro e pequena empresa

Petista diz que oposição “torce para o pior do Brasil” | Foto Lula Marques | Agência PT

Luane Caldas

Após ter decisão do impeachment adiada em reunião da Câmara de Deputados, Dilma Rousseff (PT) afirmou que as tentativas de derrubar seu governo não passam de “pedaladas políticas” da oposição.

A presidente afirmou, na última quarta-feira (14/10), que “não existem acusações suficientes que justifiquem o processo de um impeachment”, em entrevista à EPTV, afiliada da TV Globo em Campinas.

“Nós achamos que não existe nenhuma base, nenhuma materialidade, nenhum elemento para se pedir um processo de impedimento em relação ao meu mandato. Nós consideramos que é de fato uma medida muito casuística, não só casuística, mas golpista”, justificou.

A petista declarou que as chamadas “pedaladas fiscais” foram feitas por todos os governos que a antecederam, e esclareceu que “a prática consiste em utilizar bancos públicos para pagar despesas que seriam do governo, como pagamentos de programas sociais.”

Torcida do Contra

Com os ânimos acirrados, a presidente acrescentou ainda que a oposição “torce para o pior do Brasil” e “só pensa em si mesma”.

“Partes da oposição, eu não digo que é toda a oposição, partes da oposição, torcem para o quanto pior melhor, aprovam medidas que quando estavam no governo não defendiam e eram contra. Então, torcer para o quanto pior melhor, é sempre torcer para o melhor para si mesmo e o pior para a população. Isso não está certo”, arrematou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.