Para a presidente, volta do tributo pode ajudar a resolver o problema da área no País. Além disso, petista garantiu que não há nenhum “embaçamento” contra ela

Presidente Dilma durante café da manhã nesta quinta (7/1) | Foto: Ichiro Guerra/PR
Presidente Dilma durante café da manhã nesta quinta (7/1) | Foto: Ichiro Guerra/PR

A presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou, nesta quinta-feira (7/1), durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, que a aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) é questão de “saúde pública”.

“Não é questão só de reequilíbrio fiscal, mas também é questão de saúde pública. Aprovar a CPMF pode ajudar a resolver o problema da saúde pública no país”, argumentou.

A presidente também comentou que o País precisará de reformas, como a administrativa: “O Brasil vai ter que encarar a reforma da Previdência”.

Perguntada sobre denúncias de corrupção em seu governo, ela disse que foi “virada do avesso”. “Podem continuar me virando do avesso. Não paira sobre mim nenhum embaçamento”, completou.

Dilma também comentou que sua relação com o vice-presidente Michel Temer está “ótima”. (As informações são da Agência Brasil)