Diante de polêmicas, Volodymyr Zelensky dispensa ajuda de brasileiros na Ucrânia

Especialista em Direito Internacional acredita que atitude é reflexo de fala polêmica de deputado

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, dispensou ajuda humanitária de brasileiros na Ucrânia. Enquanto o país enfrenta duras consequências da guerra, uma das motivações para a recusa seria o áudio com falas machistas e sexistas gravado pelo deputado estadual paulista, Arthur do Val (sem partido), conhecido como “Mamãe, Falei”. A polêmica envolvendo um grupo de brasileiros que foram à Ucrânia ajudar no conflito, mas ficaram apenas postando nas redes sociais também seria outra das motivações.

O parlamentar, que foi à Ucrânia sob justificativa de auxiliar a resistência local contra a invasão russa, falou de forma pejorativa sobre as mulheres ucranianas. “Vou te dizer, são fáceis, porque elas são pobres”, foi uma das falas proferidas pelo deputado. O áudio causou a desfiliação de Mamãe Falei do Podemos.

O advogado especialista em Direito Internacional, Daniel Toledo, acredita que a repercussão do áudio estaria entre os motivos para a decisão de Zelensky. “Ao procurar notícias sobre brasileiros na Ucrânia, é possível entender a decisão do presidente. A publicação mais notória é sobre um Deputado Federal de São Paulo que, supostamente, foi ao país oferecendo ajuda humanitária aos refugiados, mas enviou áudios repugnantes sobre as mulheres ucranianas em um grupo de amigos dentro de um aplicativo de mensagens”, afirmou Toledo. Ele também afirmou que esse fato manchou a imagem do Brasil e fez com que o país perdesse sua credibilidade.

Outro fator que contribuiu negativamente para o Brasil, foi a atitude de um grupo de voluntários brasileiros que foram à Ucrânia “ajudar” no combate, mas ao chegar no local do conflito ficaram apenas postando nas redes sociais. A inteligência russa detectou, por meio dessas postagens, a base em questão e a bombardeou matando muitos dos que estavam ali. Dentre eles, alguns brasileiros que não conseguiram escapar.

Toledo comenta o tanto que o episódio foi frustrante e impactou negativamente na ajuda humanitária. “Enquanto de um lado estamos lutando para ajudar as pessoas que estão realmente sem comida, roupas e até mesmo abrigo, existe um outro lado com pessoas que querem aparecer nas redes sociais realizando uma espécie de falso heroísmo, quando, na verdade, elas poderiam estar ajudando de maneiras realmente efetivas essa população de refugiados”, indaga o advogado.

Além da perda de credibilidade frente a outros países, o especialista em Direito Internacional afirma que esse tipo de atitude pode criar um grande embate diplomático entre os países. “O Presidente da Ucrânia disse que a ajuda do Brasil é dispensável. Logo, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro vai negar as solicitações humanitárias feitas por seus cidadãos. Com toda a certeza, várias portas serão fechadas para o Brasil em um futuro próximo e um grande número de indivíduos pode ser prejudicado. Tudo isso, apenas pela necessidade de publicidade online de algumas pessoas e políticos oportunistas em um momento tão complicado”, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.