Dia Internacional da Pessoa com Deficiência será celebrado com uma publicação

Revista apresenta histórias de superação de mulheres goianas com deficiência

Revista Mulheres Empoderadas | Foto: divulgação

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que aproximadamente 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência. Na maioria das vezes, portadores de necessidades especiais (PCD) são tratados com discriminação, o que dificulta uma vida de qualidade e digna para essas pessoas. Dia 3 de dezembro é celebrado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. A data criada em 1992 foi um marco para o final da Década das Pessoas com Deficiência (1983-1992) pela ONU.

Para a ONU, a data é um momento para refletirmos sobre o lugar das pessoas PCDs em nossa sociedade e o que conseguimos fazer em defesa da acessibilidade e da inclusão de forma a assegurar os direitos de todos. Para promover o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, a Prefeitura de Goiânia lança nesta quarta-feira, 2, a revista “Mulheres Empoderadas”, projeto editorial que conta a trajetória de 10 mulheres que enfrentam desafios diários em busca de uma sociedade mais inclusiva e acessível.

O evento de lançamento idealizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM) e o GoiâniaPrev, seguirá todos os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades médicas, será realizado na Estação Ferroviária, a partir das 9 horas.

O projeto conta histórias de mulheres como a da professora Jandira Azevedo, deficiente visual que teve a oportunidade de ser alfabetizada apenas aos 23 anos e que hoje, aos 62, se prepara para o iniciar o curso de doutorado. Segundo o secretário de Direitos Humanos de Goiânia, Filemon Pereira, “a revista apresenta histórias de mulheres que, vestidas de coragem e sorrisos, sempre lutaram para conquistar seus espaços como cidadãs e para construir suas próprias identidades”.

Para o secretário o objetivo do projeto é estimular o respeito à diversidade por meio de histórias de mulheres que conquistaram espaços importantes na sociedade apesar do preconceito, do capacitismo e das dificuldades de comunicação que elas enfrentaram.

A revista faz parte do projeto “Mulheres por Direitos”, um programa desenvolvido pela gestão do prefeito Iris Rezende para conscientização e garantia dos direitos das pessoas com deficiência sejam respeitados. Além do material editorial, o projeto promoveu uma exposição fotográfica no Shopping Cerrado, produziu um curta metragem e realizou várias oficinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.