Dez anos depois, policiais acusados de matar jovem em Goiânia vão a julgamento

Pedro Henrique Queiroz, 22 anos, foi atingido na nuca quando voltava do batizado do filho de carona no carro de um amigo

Os policiais militares Geovane Cardoso da Silva, soldado, e Marcelo Sérgio dos Santos, cabo, respondem, na manhã desta quinta-feira (25/10), pela morte de Pedro Henrique Queiroz, de 22 anos.

No dia 7 de setembro de 2018, o rapaz que era bacharel em Direito, voltava do batizado do filho de carona no carro de um amigo quando foi atingido por disparos efetuados pelos PMs.

O motorista teria errado o caminho e por isso freou bruscamente em uma rua do Jardim América, em Goiânia. A situação levantou a suspeita dos policiais que atiraram contra o veículo. Pedro Henrique foi atingido na nuca, não resistiu aos ferimentos e morreu quatro dias depois .

O julgamento será realizado no Fórum Criminal, no Jardim Goiás.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.