Ao Jornal Opção, Bravo demonstrou otimismo, haja vista que as decisões federais determinam que as ações sejam conduzidas conforme o entendimento do TRE-GO

Sérgio Bravo suplente do deputado estadual Vinicius Cirqueira | Foto: Marcos Kennedy

O suplente de deputado estadual, Sérgio Bravo (Pros) comentou, na manhã desta quinta-feira, 3, a possibilidade de assumir uma cadeira na Alego em substituição ao deputado Vinícius Cirqueira, do mesmo partido.

Bravo demonstrou otimismo haja vista que as decisões federais determinam que a ações sejam conduzidas conforme o entendimento do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TREGO).

“Pela decisão a orientação é dar posse ao primeiro suplente do partido. Se fosse para anular voto, ele [o ministro] teria, no voto dele, pedido para anular. Mas na verdade ele negou o recurso e mandou manter a decisão de Goias, que em momento nenhum pede para anular voto e sim dar posse ao suplente do partido”, disse.

No entanto, caso a justiça eleitoral anule os votos de Vinícius para a chapa, Keithe, que teve 14.991 votos pelo PSL, é quem assume a cadeira. A esperança de Bravo é que os votos não terminem anulados para que, caso a cassação seja confirmada, ele fique com a vaga.

Imbróglio

A discussão ganhou protagonismo quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em decisão monocrática do Ministro Alexandre de Morais publicada no último dia 27 de outubro, confirmou cassação do mandato do deputado estadual Vinícius Cirqueira (Pros). A defesa do parlamentar deve recorrer.

O TSE segue decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de janeiro deste ano, que considerou que houve utilização de cartões de débito oferecidos pelo Pros para despesas eleitorais não comprovadas.