Desembargador de Goiás ameaça deixar audiência por causa de roupa de advogada

Eugênio Cesário diz que ela não estava à altura da atividade e dispara: “A senhora vem fazer sustentação de camiseta?”. Mulher estava, na verdade, de vestido

O desembargador Eugênio Cesário, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), causou polêmica nesta quinta-feira (17/8) depois de repreender, em meio a todos os presentes na audiência, uma advogada pelas roupas dela. No vídeo, gravado por um advogado que estava no local, ele diz que ela não está cumprindo o decoro forense e ameaça deixar a audiência.

“Podem discordar, mas nós temos um decoro forense a cumprir. Tem que estar à altura na forma e na aparência com o exercício dessa atividade e a senhora vem fazer sustentação oral de camiseta?”, disparou ele. Em seguida, a desembargadora Yara Teixeira diz que ela está, na verdade, de vestido e diz que, embora não concordasse, poderia adiar a audiência caso ele se recusasse mesmo a participar.

Segundo o advogado Lucas Jabur, que gravou a cena, ela estava vestida “normalmente” e apenas não usava um terno. Depois do constrangimento, uma outra advogada que estava no recinto cedeu o seu para que ela pudesse prosseguir com a sustentação oral.

Lucas afirma ainda que não é competência do juiz regulamentar as vestimentas do advogado. “O Art. 58. diz que ‘Compete privativamente ao Conselho Seccional inciso XI – determinar, com exclusividade, critérios para o traje dos advogados, no exercício profissional”, pontuou ele.

Veja vídeo:

Resposta

Por meio de nota, o TRT lamentou e classificou o incidente como “isolado”. Veja na íntegra:

“Quanto ao ocorrido com a advogada na 2ª Turma de Julgamento, o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região lamenta e entende ser um incidente isolado, acreditando na manutenção das boas relações mantidas com a nobre classe dos advogados ao longo dos seus quase 27 anos de existência, sempre pautadas pelo mútuo respeito às prerrogativas próprias do exercício das relevantes funções igualmente indispensáveis à administração da justiça”

Ascom do TRT 18ª Região

194 respostas para “Desembargador de Goiás ameaça deixar audiência por causa de roupa de advogada”

  1. Raphael disse:

    Por mais que a atitude do desembargador tenha sido condenável, ao expor uma advogada ao ridículo e ameaçar sair da audiência, numa afronta ao devido processo legal, a realidade é que a maioria das advogadas se vestem muito mal: enquanto advogados tem de usar terno e gravata, mesmo em dias quentes, advogadas vestem calça legging, vestido de balada e blusinhas transparente. Algumas se vestem como verdadeiras prostitutas, sem qualquer represália por parte do Conselho.

    • Silvia disse:

      E o doutor é outro tosco, igual ao desembargador.

    • Cristiane disse:

      Primeiro, vc está sendo ridículo escrevendo isso, não se entra em audiência com “blusinhas de balada”. Tem que haver o respeito mútuo. A pior classe é de advogados, tudo desunidos!

      • Cleonice disse:

        Concordo com você Cristiane, não teve um dos presentes para manifestar-se em favor da colega, ligando para o Conselho de Ética, em 5 minutos teria um Represente no local.

      • Samuel disse:

        E o que o conselho de ética iria fazer? Nada! Eles não gostam de trabalhar.

    • Miguel disse:

      Tão brasileiro esse apego ao formalismo infundado. Vá no Senado e na câmara procurar bons homens de terno. Enquanto isso os yuppies do vale do silício de bermuda e chinelo mudam o mundo e ditam as novas regras econômicas, sujeitando uma sociedade medíocre, pobre e muito vaidosa para admitir suas próprias incoerências de valores, em um abismo ideológico. Lamentável como os brasileiros são insignificantes em seus princípios. A maioria da população brasileira não tem dinheiro para comprar terno. Se uma pessoa sem terno não pode adentrar em um tribunal e o poder institucional emana do povo, com pesar, assistimos outra vez a constituição não passar de sopa de letrinha. Pior ver isso daqueles que se dizem parte do estado democrático de direito, inventando seus próprios códigos

      • Mariana disse:

        O que talvez o desembargador tenha “reparado” pode ter sido a simplicidade do vestido. Além da anuidade da OAB ser uma das mais caras de tdas as profissões do pais, ainda tem o fato de que os vestidos e boas vestimentas femininas e sapatos serem caríssimos e nao poderem ser repetidas em todas as audiencias como se fossem um uniforme ou calça e blaser finos. Sei que os homens gastam muito também mas para as adv têm que gastar com cabelo unhas vestidos sapatos q ficam a mostra meias finas taillers e etc e ainda que se repita roupas nao dá ara usar sempre a mesma. Um bom terninho feminino custa quase um rim. Então concordo em genero número e grau com vc. Desembargadores tacanhos pobres de espírito e que vivem numa realidade que nao existe neste pais. Para começar o ridiculo de termos que chamar juizes e desembargadores de doutores. Hipocrisia a mil%. Nos Estados Unidos mesmo o juiz tendo doutorado de verdade é chamado de YOUR HONOUR (vossa excelência) e de MISTER (senhor) . O Brasil ainda é uma colônia em todos os sentidos a começar pela pequenez dos que estao nos maiores cargos.

      • Danilo Sávio Rocha Cavalcante disse:

        Não vi nenhuma falta de respeito à Corte, a colega não estava de camiseta, nem se vestia de forma desrespeitosa, faltou ao desembargador a brandura de um bom coração, preferiu a crueldade e a falta de elegância, este sim, foi desrespeitoso com a sua alta função, no alto de sua grosseria, não merecia ocupar o cargo. Faltou-lhe inteligência emocional… essa não é a postura de uma pessoa que respeita ao seu próximo, é a postura de gente vaidosa, paga muito bem por nós simples mortais; a conduta desumana, que deve sim ser censurada pela classe dos advogados, não veio servir em nada à sociedade, foi um mau exemplo, o mu exemplo de como é fácil humilhar, é assim que o vaidoso se comporta.Ao meu vê esse tipo de atitude desastrada merecia as reprimendas da lei, comportaria sim, sem sombra de dúvidas, uma ação de reparação por perdas e danos morais, a prova dos fatos há de ter fundamento o presente vídeo, bem como a oitiva de testemunhas. A humilhação em público, indevida, não podia sair do agir de uma pessoas, possivelmente humana e culta. Que tipo de olhar fitou a colega que nela enxergou o desrespeito. Quedou-se a distinta colega, como educada que demonstrou ser (impressão que me faz ter o vídeo), em manter-se tranquila frente a insensatez de seu agressor. Aqui o meu repúdio diante desse lamentável episódio. Mas, infelizmente, esse episódio não é o primeiro, aqui no Ceará, ocorreu um caso semelhante na Justiça do Trabalho, quando o juiz exigiu que o advogado colocasse uma gravata, e como ele não tivesse, e tendo insistido na continuidade da audiência saiu da sala de audiência preso, outro caso que foi bastante notório a nível nacional, também nessa especializada, foi quando o jurisdicionado, homem do campo, que usava a chinela ficou impedido, por isso, de participar da audiência … Para mim, se a justiça é cega, devia continuar assim, possivelmente, teria apreciado apenas os fatos e o fundamento jurídico da ação, saberia ouvir a defesa oral, não teria havido, nenhum incidente, e nenhum mau. Deviam olhar para a grande maioria dos advogados e advogados, que carregam toda a realeza em suas costas, sem ao menos merecer o mínimo de respeito, não temos auxílio moradia, não temos segurança, não temos 13° salário, não temos nenhuma vantagem, nada, e pagamos uma anuidade de R$ 800,00. Enfim, seria muito bom que juízes que assim se comportam, revissem sua forma de aplicar a infeliz advertência (descabida) , mas que para si, passou a ser da mais suma importância, a roupa de uma mulher,que em nada ofendeu à corte! Lembrem-se, representamos o povo. Não me conformo com isso, e não me acovardo para apresentar, conforme já dito acima. o meu veemente repúdio, a esses episódios desnecessários, que em nada contribuem para o engrandecimento de nossos tribunais. O que exigimos é mais respeito com nossa classe! Tenha cara colega toda a minha solidariedade. Meritíssima é a sociedade!

      • Ricardo disse:

        Concordo com cada palavra sua.

      • denise disse:

        a conclusão, infelizmente, é perfeita pelo menos quanto ao judiciário: somos uma colônia. aproveito para convidá-la a acompanhar nosso II Seminário Interdisciplinar O Sistema de Direito em Debate – O Inimigo no Imaginário Coletivo e o Arbítrio do Direito, @OSistemaDeDireitoBrasileiroEmDebate

      • EDUARDO CAETANO disse:

        Miguel, concordo com seu ponto de vista.

      • Patrícia disse:

        Disse tudo!

      • Barbosa disse:

        Brilhante posicionamento. A indumentária não se sobrepõe a valores há muito tempo esquecidos. Brasília que o diga.

      • luiz carlos disse:

        Parabéns, colocou o detrito jurídiquês no nível adequado….

      • Denio disse:

        A mais pura verdade Miguel

      • Miguel disse:

        Exatamente…Brasília por exemplo tá lotada de bandido com terno e gravata… A roupa não está vinculada ao caráter e muito menos à competência.

      • Ésio disse:

        Perfeito!! O estado democrático de direito é uma falácia!!

    • Ismael Gomes Marcal disse:

      Caro colega Raphael, talvez não seja do seu conhecimento que temos colegas que não conseguem pagar sequer a anuidade da OAB. São operadores do Direito humildes, mas profissionais sérios e comprometidos. A nobre colega ofendida, se encontrava vestida de forma simples, o que não quer dizer que seja prostituta como o senhor menciona. E tem mais, se nós não respeitarmos a nossa classe quem é que vai respeitar.

      • Carlos Assumpção disse:

        Lamentável o episódio mas no Brasil, os “poderosos” fazem as próprias leis!! Aliás, eu gostaria de saber onde está a OAB, e as prerrogativas, onde ficam!! Já passou da hora de se aprovar uma lei que traga juízes e principalmente alguns promotores à realidade de que são”funcionários” públicos e não imperadores de províncias que governam ao seu Bel prazer!! Como dito acima por alguém, ainda somos uma capitania hereditária!! Algumas questões desanimam no árduo exercício da advocacia!! Minha solidariedade à colega é meu repúdio ao supremo que pensa ser deus, ao STJ que acreditam serem semi deuses, aos desembargadores que pensam ser a sobra dos deuses e a alguns juízes, promotores e procuradores que pensam fazer parte de uma casta sagrada e por isso, se julgam melhores que todo o resto!!!

      • Danilo Sávio Rocha Cavalcante disse:

        A autoridade morre quando o seu detentor age de forma a não merecê-la, não sei de onde vem tanta empáfia, tanta grosseria, tanta falta de elegância, e tanta falta de respeito!!!!!

      • denise disse:

        respeito à classe e às mulheres!

      • Danilo Sávio Rocha Cavalcante disse:

        Concordo com o seu lúcido ponto de vista, e me sinto mal com certos comentários de natureza pervesa, que em nada contribuem com a nobreza da nossa profissão, nossas colegas advogadas são corajosas e competentes, merecem o devido respeita e a mais plena consideração. A roupa não é o maior atributo, a beleza das coisas está na essência do espírito, e na sabedoria das palavras.

    • Carla Monteiro disse:

      Que ridículo! Quem é você para julgar? Deus? Muito advogado de terno e prostituto de honra. Vai se ferrar!

    • Carlos Alexandre Aidar disse:

      É inaceitável a postura do desembargador. Mesmo que tivesse razão em seu desacordo, o que não se sustenta pelo evidente exagero moralista, jamais poderia tratar a advogada de forma tão desrespeitosa, chamando-lhe a atenção como se fosse seu pai, superior hierárquico ou algo assemelhado. A conduta do magistrado deve ser cautelosa, tolerante e arejada, evitando acintes à atuação como profissional como registrado. Mais inaceitável ainda, que se registre, é a postura de advogado do sexo masculino na condição de julgador do traje feminino alheio e, em sequência, avaliar o próprio comportamento da profissional pelo critério de não gostar daquilo que ela veste. Uma lástima!

      • Rogério Teixeira Brodbeck disse:

        No máximo, mas assim no máximo dos máximos deveria pedir a um assessor para lembrar à advogada sobre o seu traje, mas jamais adverti-la publicamente. Espero que a OAB local faça um desagravo à colega…

      • denise disse:

        senão, façamos nós um desagravo público!

    • Silvana Lucarelli disse:

      Antes puta que ladrão. Antes puta que preconceituoso. Roupas…Todos os maiores ladrões usam terno.

    • HUDSON ROBERTO DE ANDRADE disse:

      Excelente comentário. Todos os dias vemos advogados sendo obrigados a colocar gravatas e advogadas desfilando. Lei e pra todos. Não e a igualdade que elas procuram? Que tenham igualdade, eu acho justíssimo.

    • Elaine Noleto disse:

      E você não passa de um machista e ignorante. Que advogada se veste como prostituta recalcado? Vontade de te levar no TED e fazer você engolir essas palavras ou só conhece de ofensas e não conhece o Estatuto da OAB e Código de Ética. Se quiser te apresento com representação no TED

    • Paula disse:

      Comentário ridículo e machista esse seu!

    • Rafaela disse:

      E isso é falta de respeito na sua opinião? Faltá de respeito é existir pessoas como vc que acham que as roupas são mais importantes que a vestimenta do profissional. Vire juiz e faça esse papel machista e sem ética que esse mesmo juiz fez… vcs é quem devem estar certos e o mundo que vivo é essa merda por conta deste tipo de ser humano como vcs.

    • Maria geralda martins disse:

      Nobre colega ridícula sua posição. Sou advogada e penso que suas posições são deveras inapropriadas e intolerantes. A classe do direito em sua maioria precisa baixar essa hipocrisia e arrogância de serem seres supremos e prestar mais atenção ao jurisdicionado. Essas convenções de roupa decorrem de costumes retrógrados. O direito do jurisdicionado é defendido por escrito ou por palavras não pela roupa que o advogado veste. Esse desembargador precisa ser advertido pela OAB. Precisa baixar a crista. Ele não precisa dos olhos para julgar. Poderia ter ficado de olhos fechados e ouvido a sustentação que era oral e não expor a colega que possivelmente colocou sua melhor roupa naquele dia. Precisamos ser menos intolerantes, hipocritas e arrogantes.

    • Santuzza #putafeminista disse:

      O seu pensamento é mais retrogado do queo do desembargador. Julga as mulheres pela maneira que se veste.
      E não há problema algum em se vestir como prostituta, eu particularmente me visto muito bem e não me envergonho deser prostituta.
      Do que adiante os “nobres” advogados se vestirem tão bem e o caráter serum lixo???

    • Alexandre disse:

      Realmente mais babaca que o comentário do desembargador. Foi o comentário desse raphael. O Tribunal não pode querer lançar moda ou exigir como deve se vestir o advogado, até porque ele não é consultor de moda e deveria está ali imparcialmente para julgar. Foi infeliz no comentário e merece uma representação no CNJ.

    • Aí você foi babaca demais. Cada um se veste como deseja meu amigo, se o cara julga-se superior apenas por uma roupa ele é um babaca. E você é mais babaca ainda por querer endeusar essa corja de imbecis que estão ali a fazer seu teatrinho para decidir a vida das pessoas. #ImpostoÉRoubo e #OEstadoÉUmaQuadrilha

    • Tatiana Reis disse:

      Concordo que o advogado como operador do direito deva sim apresentar-se de maneira adequada no cumprimento do dever. Entretanto uma calça legging, um vestido, não faz de uma mulher uma prostituta. O decoro muito além da vestimenta deve residir também no caráter! O que aliás fica muito a desejar nas diversas esferas do nosso sistema judiciário, desde advogados e servidores a juízes e desembargadores.

    • Sou totalmente a favor do uso adequado da vestimenta em sinal e respeito a Atividade da Advocacia. Quando a nobre colega optou pelo Direito já sabia que ao final da faculdade deveria se portar e vestir de maneira distinta aos demais da sociedade… Que assim o faça! Mulher tbm deve usar trage condizente… No STF, se não estiver de paletó, não entra, seja homem ou mulher, e assim deveria ser em todos os locais, pois, já vi advogado em audiência vestido muito semelhante ao cliente, um despautério para com a profissão e um desrespeito aos demais colegas…. Abraços fraternos a todos!

      • Jussara disse:

        Dr Paulão !
        Traje com “G” ?
        Advogado vestido igual ao cliente ? E qual é o problema ? Vc se acha melhor que o cliente ?
        Ora Dr Paulão, tá faltando um monte de coisas aí, né ? Educação, humildade, respeito, cultura, bom senso e muito mais.

      • Wanderley disse:

        Falta a esse panaca muitas aulas de gramática.
        Um advogado mais que traje condizente como ele diz precisa saber português.

      • Mariana disse:

        Nossa! E para o sr. ver, Doutor, percebeu como hj estao bem vistos os srs ministros do STF! Tatnta pompa e circunstancias e mais regras de vestimentas e todos sabendo, no Brasil e NO MUNDO TODO, que os membros do STJ tem comportamento suspeitos E STF brasileiro só têm homens de moralidade duvidosa indicados por politicos corruptos cujas decisões envergonham até um boia fria leigo em direito quase analfabeto mas que sabe que distorcer palavras nao muda o conteudo de um crime! Desculpe-me mas quanto mais se defende a questao da vestimenta mais nojo sentimos da nossa Justica. Alias falta de Justiça. Antes fossemos todos pelados e tivemmos uma moralidade de fato elevada, sem distorções, etica verdadeira, leis para serem justas e igualitárias. Os srs estao discutindo quem questoes de vestimenta e como se deve compatecer perante uma audiencia? Se uma advogada vai vestido ou nao como prostituta numa audiência?
        Ora no momento atual quem consegue ser maior prostituta que o proprio Poder Judiciário?

      • adonias disse:

        DOUTOR AMADO, PAULÃO ” uma coisa é uma coisa” “outra coisa é outra coisa” neste caso a moça estava com um vesto basico na cor preta e a manifestação de intolerancia do desembargador não esta fundada em nenhuma razão. já pensou se fosse o caso de uma filha, esposa, irmã ou até mae de Vossa senhoria ser estigmatizada como indecente apenas por vestir um vestidinho basico para comparecer numa reunião?

      • Silvia disse:

        Nunca vi advogadas de paleto no STF. E traje é com “j”

    • Heitor disse:

      O que é uma roupa de prostituta?

      • Mariana disse:

        É por exemplo a vestimenta pomposa e felaciosa com a qual os ministros do STF estao lidando com os maiores e mais graves problemas do Brasil. Soltando bandidos, distorcendo a Constituição Federal na questao do impeachment e etc… incrivel como todo mundo se preocupa com certas aparencias exteriores mas nao liga para a verdadeira prostituta da Justica que tem sido os ministros da mais alta casa do poder judiciário do país. Quem sao as prostitutas: CELSO DE MELLO, LEWANDOWSKI, GILMAR MENDES, ETC. Estes sim SAO AS PROSTITUTAS.

      • Robson disse:

        Eles são tão imbecis e conservadores, que esquecem que prostituta trabalha sem roupa, usa a roupa para atrair os incautos, que por incapacidade de conquistar uma mulher, são obrigados a pagar pelos serviços sexuais dessas mulheres. Aqui, deixo claro, que nada tenho contra as prostitutas, ou afins, pois cada qual tem o direito de viver conforme as oportunidades e situações que a vida lhes impõe. A ironia da situação, está no fato de que, os maiores ladrões da atualidade, aqueles que nos roubam dentro e fora da lei, usam ternos caros de grifes famosas, comprados graças as verbas especificas para compra de ternos, o famoso auxílio terno, que contempla o legislativo e o judiciário, enquanto que nós advogados, temos que pagar do nosso bolso, por tudo que necessitamos comprar. E como comentou uma nobre colega, o inicio de carreira para os advogados, principalmente aqueles que não possuem amigos íntimos, ou familiares que possuem escritórios e estão no ramo, enfrentam grandes desafios, para trabalhar, principalmente de ordem financeira. Chega de hipocrisia e falso moralismo. Temos que ser unidos, como eles são!

    • ALEXANDRE M D V R disse:

      Caros colegas de profissão, estamos no século CDI. Deixemos o tosco machismo de lado. O terno e gravata não me incomoda nem um pouco e às vezes num dia de calor nos faz suar um pouco mais. No entanto, nossos escritórios, carros e salas de audiência, são contempladas com ar condicionado. O desembargador foi de uma ignorância atroz e mostra bem o perfil desta laia que se acha acima dos demais mortais. O CNJ tem que agir contra estes semideuses da ignorância. A arrogância da magistratura destruiu o fino foi da justiça. E sim, o desembargador foi machista, mal educado, arrogante, misógino e estúpido.

    • GLÓRIA MADUREIRA DE FARIA disse:

      Cruzes!!!! Quanta demagogia!!! Se vcs homens se vestem que nem robôs para serem aceitos como “bons” profissionais, nós mulheres já ultrapassamos esses limites da demagogia! Só lamento para os nobres colegas mal resolvidos!

    • Mariana Santos Soares disse:

      Mas minha cara, o que tem a ver a roupa que uma pessoa veste com o sua capacidade profissional? Creio que ele deveria se portar com respeito para com ela, pois é o mesmo que dizer que ele não se controlaria perto de uma mulher com qualquer vestimenta! Isso é uma afronta a classe de advogados, a mulher principalmente e ao princípio da dignidade humana, Desembargador nenhum tem esse direito, aliás homem nenhum tem esse direito, de diminuir uma mulher pelo simples fato dela não vestir o que ele acha adequado!

    • euripedes disse:

      E a velha educação que deve ser comum a todos? Não seria mais adequado fazer uma pausa na audiência, chamar em particular a advogada e alertá-la sobre tal conduta tão reprovável? E olha que quem fez a 4ª série forte sabe disso… nem precisa ser desembargador.

    • Vladimir I. Uljanov disse:

      Tá com inveja?

    • Cléo disse:

      “? Nobre Colega “, deveria lavar a sua boca com sabão…Por essa e outras, que o país NÃO EVOLUI!!! Pergunta : Por que não se preocupar com a prostituição política do nosso país????

    • Nanci leal disse:

      Pensamentos preconceituosos e machistas.
      O juiz e esse Raphael são ridículos.
      Ainda ter coragem de dizer que algumas se vestem como verdadeira prostituta.
      Caros nobres doutores formados em moda, vão procurar umas roupas pra lavar, já que no direito vocês não entendem nada.

    • Rosi disse:

      Mais respeito doutor com as colegas advogadas.
      O seu linguajar é que tem que receber represálias por parte do Conselho.
      Preconceituoso!

    • All disse:

      Prostituída é uma opinião destas. Evolua camarada!

    • Carlos disse:

      Não faça cerimônia de vista como elas e pare de ser invejoso, o que me torna advogado é a minha formação e a inscrição na OAB, só uso Bläser com jeans, docside e gravata no bolso caso encontre algum juiz que queira aparecer e no entanto só recebi até hoje críticas de colegas os quais desprezo, e quanto às prostitutas ninguém tem nada a ver como elas se vestem gosto pessoal, basta de controle social abra sua mente

    • Anderson disse:

      Larga de ser burro. Vc é advogado ou “adevogado”. Que espécie de animal vc é? Aprende uma coisa, seu burro: EXCESSO DE APEGO AO FORMALISMO CONDUZ À “BURROCRACIA”

    • Junior disse:

      aquele comentário lixo, que sempre aparece nesses casos, lamentável saber que você esta no meio de nos advogados que lutamos pela classe, o mais certo e que você seja só mais um, que não faz a diferença em hipótese nenhuma.

    • Geisson disse:

      Lixo de pensamento, destes que se dizem conhecer direitos e leis….. Lamento pela mente destes, q lamentavelmente ainda vivem em função de uma ética q eles próprios já enfiaram no cu da gravata

    • Ronan Rocha disse:

      Tú es Deusembargador meu querido ? QUe maneirava ridícula de se expressar em relação a uma colega de profissão . Saravá

    • Duarte Luiz disse:

      Enquanto a justiça brasileira sufoca sob milhões de processos e milhares de pessoas aguardam poe decisão simples, esses “senhores” discutem blusinhas. Isso é o Brasil.

    • Ricardo disse:

      Dor de cotovelo! é por isso que o Brasil tá na merda.

    • Tiago disse:

      “Algumas se vestem como verdadeiras prostitutas”. Já mostrou quem é e como pensa.

    • Alexandre disse:

      Não concordo com sua colocação , essa comparação que advogadas vestem de como #prostituta# não condiz com a realidade , talvez esse Desembargador não goste do sexo oposto e saiu com essa atitude ridícula e seu comentário foi + ridículo ainda !

    • Inês disse:

      Credo! Que comentário imbecil! Melhor ficar caladinho!

    • Cleonice disse:

      O que a OAB regula e como a entidade se posiciona? Porque se cada um resolver que o que gosta é o que vale, ninguem vai saber como agir

    • Juliana Nunes disse:

      Doutor não é pronome de tratamento, é título acadêmico. Doutor é quem tem doutorado, o que obviamente não é o caso de 99% dos “adevogadus” que comentaram aqui. O mundo necessita de mais pessoas com o Raphael

      • Wanderley disse:

        Tu é namorada, mãe, esposa ou tá querendo ficar com esse ser abjeto que representa o que há de mais nojento do machismo.
        Vc provavelmente deve ser milionária e pode comprar as melhores roupas do mundo ou é só mais uma hipócrita querendo aparecer.

    • maira disse:

      Outro da mesma espécie do abominável juiz.

    • Amanda disse:

      “Algumas se vestem como verdadeiras prostitutas”… Colega, não sei onde você advoga, ou se advoga, mas durante todo o período em que estive dentro de um fórum e, principalmente, dentro da sala de audiências, jamais vi uma advogada se vestir da maneira pejorativa que disse. Em um número bastante alto, sabemos que elas não usam terno ou blazer, mas, repito, jamais vi vestirem-se de maneira que afrontasse a ética profissional e o respeito intra forense.

    • Tatiana Vieira disse:

      Respeito é bom e nós gostamos nobre colega, não é nossas roupas que informam o nosso caráter e profissionalismo. Mantenha por gentileza o decoro e nos respeite.

    • Raphael disse:

      Raphael, o judiciário é a verdadeira prostituta, não?
      Os maiores bandidos da história usam ternos e gravatas, ok? De repente o terno, na sua opinião seja sinal de respeito, além da combinação mais elegante, mas não se esqueça de q todo bandido q rouba milhões, usam sempre terno e gravata.
      Vc foi infeliz em sua colocação!
      Continue de terno e gravata, porém, não se esqueça de analisar a situação de cada indivíduo.
      Para que mesmo serve esse judiciário corrompido?
      Absolver políticos bandidos conforme está acontecendo em nosso país.
      Sabe o que é prostituição?
      É quando um advogado favorece um bandido a troco de uma boa grana; isso é ser prostituta.

    • Wanderlry disse:

      O Sr. possivelmente está bravo porque gostaria TBM de poder usar vestido nas audiências?

    • Denio disse:

      Brasil… mundo … humanidade…. onde vamos parar. Olhem o post de tal advogado. Que isso ?! Advogados pesam que sao os bambas. Juízes pesam que sao Deus. Desembargadores tem certeza que são Deuses e os ministros do STF acham que são acima de Deus. Quanta burrice. Homens mais estudam e parecem ser os mais estúpidos. 3 grupos que causam nojo no Brasil. Traficantes, políticos, e judiciários.

    • Sonia Mayrink ( e38 anos de advocacia ) disse:

      Dr. V.sa. tem o mesmo pensamento do desembargador discriminatório como o Desembargador seu pronunciamento foi lamentável , inaltecer onorocedimento do Relator , prefiro que Deus me dê um apagão sobre o seu comentário!

    • Marci disse:

      Pensando em sua mãe “Raphael”?

    • luiz gonzaga teixeira disse:

      quem usa terno e gravata tem a intenção de se fantasiar de defunto ou é só eu que acho? Defunto social?

    • Marques disse:

      Faço minhas suas palavras! Vamos deixar de hipocrisia, em cada recinto ou evento, um traje adequado. O vestido é bem “descolado” próprio para um passeio no Shopping, ou ir à feira, uma caminhada talvez, para a participação neste “evento” no mínimo um terninho feminino, um tailler, algo mais sóbrio e discreto.

    • dra. Luciana disse:

      Que comentario idiota..do desembargador e do cidadão acima.

    • Debora disse:

      Repudio ao seu comentário ridículo. Não vejo advogadas se vestindo de prostitutas não. Aliás esse seu machismo é indigno da profissão! Muito infeliz!

    • Ésio disse:

      O senhor deveria se preocupar mais com o seu português, do que com a vestimenta das mulheres advogadas.

    • Adv Mauricio Aguiar disse:

      Deixa Elias rapaz, vc é fresco é?
      Deixa as deliciosas!
      Elas podem

  2. Valdilene Oliveira Martins disse:

    Que VERGONHA, que atitude sem senso!
    Uma lástima ver o exercicio de uma profissão ser cerceado, por um motivo TÃO BANAL!

  3. José Queiroz disse:

    A mulher vai mostrando os ombros e ainda acha ruim?

    • Mariana disse:

      Vc tem algum problema em ver ombros? Sabe o problema é moda ser assim. Vestidos finos mosteam os ombros. Eu trabalhei a vida toda no Judiciario e nunca vi una adv mostrar ombros em audiencia. Os ares condicionados sao gelados. Vcs acusam e nao entendo por que ja que nao é verdade. Podem ter visto uma exceção. Mas o q seria mais útil seria vc se lembrar que o JUDICIÁRIO É A PROSTITUTA VERDADEIRA. O maior orgao de injustica que existe atualmente. Basta vc ler jornais e ver o papel horrivel q o STF e ate STJ vem fazendo ao longo dos anos… sem cotar a soltura de bandidos do mensalao, da lava jato, etc e para piorar julgam causas de repercussao geral por conchavos politicos ignorando leis e prejudicandos milhares de pessoas. Quer falar sobre prostitutas? Estao aí suas prostitutas: sao estas que perpetuam as injustiças sociais e no Brasil

    • Larissa Guimarães disse:

      Que crime hein! Mostrou os ombros. Vocês são de que epoca? Da epoca em que as mulheres não podiam mostrar os tornozelos? Terno não é obrigatório que eu saiba, inclusive gravata para os homens. Ou vocês têm memória fraca e esqueceram do caso similar do advogado que estava sem gravata? Precisamos na realidade de uma classe mais unida e da ruptura dessa hierarquia do poder judiciário. O desembargador não tem competência para ditar que roupa o advogado deve usar. E ainda que ela estivesse de short e blusa não era dessa forma que ele deveria se portar. Deveria chama-la e falar somente para ela e sugerir adiamento. Atitude desrespeitosa, abusiva e autoritária!

    • Wanderley disse:

      Mostrar os ombros é motivo pra isso?
      Pior são os homens que vão para uma audiência e ficam ficando os olhares para elas e não para suas obrigações de profissionais.

  4. Cristiane disse:

    Ridículo isso. Constrangimento desnecessário.

  5. Vanda Almeida disse:

    Eu acho que ela deveria ser chamada em outra sala para ser avisada do traje, mas concordo com o desembargador tem advogada que vai fazer audiência com trajes de piriguete. É ridículo. Todo profissional deve cuidar da aparência , principalmente no trabalho.

  6. Marc disse:

    Raphael você é um pandego! Só rindo mesmo! Porque se for levar a sério os absurdos que você disse, tinha que chorar! Ridículo! Terno e gravata é a vestimenta dos maiores peostitutos dessa nação!

  7. jOSE EDILVANIO DA SILVA FERREIRA disse:

    Repudio o comportamento do Desembargador, mas concordo parcialmente com a opinião do colega, Raphael: algumas advogadas exageram nos trajes enquanto os homens nós, advogados temos que suportar aquela gravata nos sufocando e terno, seja lá qual temperatura tiver.
    Se é para existir isonomia e paridade no tratamento, vamos começar por nossa classe.
    De resto, e com todo respeito ao Desembargador, abomino o comportamento dele e do colega Raphael em equiparar nossas colegas a prostitutas.
    Minhas homenagens às nobres colegas Advogadas e sejam mais cautelosas quando forem para esses recintos. Apenas isso e tão somente.

    Edilvânio Ferreira
    OAB/SP 398503.

    • SILVIA MATTOS disse:

      Prezado…o colega acha msm q terno e gravata são incômodos? Já tentou passar meia hora de pé em cima de um salto 15 como a nós é exigido? O que nos é imposto é apenas a decência e o decoro independente do sexo, ao contrário dos comentários equivocados dos colegas a grande maioria das advogadas anda a contento. Ademais essa observação é por demais desnecessária já que é incapaz de definir profissionalismo, atenham-se ao que realmente importa a satisfação da justiça que independe da capa do livro. Meu trabalho é intelectual, independe da roupa que visto.

    • Jussara disse:

      Vai de vestidinho TB, Dr.

    • Wanderley disse:

      Brigue pelo direito do advogado não ter que usar temos é gravatas e não recrimine as advogadas pelas roupas que elas usam.
      O que falta a homens como vcs é a coragem com que as mulheres enfrentam o machismo..

  8. Jorge Ferreira disse:

    Não se trata nem de decoro, mas pelo menos de bom censo e valores, que há muito se perderam de boa parte da sociedade brasileira, inclusive profissional.
    Não se faz necessário o uso de roupas de marca, mas postura e aparência ajudam muito.

    • Denio disse:

      Kkkkk valor nao está na roupa os maiores ladrões do Brasil usam terno igual ao seu DR. Antigamente as pessoas mais honestas e sinceras nao precisavam nem de assinar papel o contrato algum era tudo no fio do bigode roupa então era o de menos da forma que estavam na roça vinham a cidade sujos de roça mais nesses sim podiam confiar. E agora podemos confiar em vc pq vc está de terno e gravata ??? Isso sim é perda de valores. Roupa nao sigfinica nada deixa de ser bobo

  9. Silvia Abreu disse:

    o Judiciário deveria pagar o mesmo auxílio de vestimenta que paga aos juízes aos advogados. Aí poderiam exigir qualquer coisa. Ridículo julgar alguém pelas vestes. A realidade salarial dos advogados é bem diferente dos juízes que ganham muito bem e ainda ganham auxílio para tudo.
    O ocorrido foi um verdadeiro afronto moral à advocacia feminina. Foi deselegante! E pior, partiu de quem deveria ter o maior decoro. Fazer algo do tipo é para desestabilizar a defesa. Se o cliente perdeu a causa que recorra e ingresse contra o judiciário que poderia ter a advertido privativamente ou após a audiência. É triste ver como que menos importa na briga de vaidades é sempre o povo. Achei q o Judiciário já tinha superado algumas formalidades inúteis. Outra coisa, a advogada ainda vestiria a toga. Porque tanta ofensa? Porque tanta deselegância se a toga traria toda a formalidade pretendida?

  10. Pedro Jcintho disse:

    Que coisa mais patética! Não dá para dimensionar isto. O pior é o comentário isolado abaixo.

  11. Flávio disse:

    As advogadas perderam a mão. Se vestem mal sim. Roupas sensuais e concordo com o Rafael, vestido de balada, blusinha transparente e roupa vulgar. Muito vulgar. Fazer uma sustentação oral ainda … complicado!

    • Mariana disse:

      Quem pagou para vc escrever isso?. Nas salas de audiencia nem se entram com blusinhas transparentes ou vestimentas improprias e os srs sabem disso. Eu trabalho no judiciario e vejo isso. Posso afirmar. Ha a pessoa q faz a chamada para as audiencias para ver quem faltou, se vai ter conducao coercitiva etc. Nessa hr bem antes da audiencia ja se avisa quem estiver vestido de modo ‘inapropriado’ seja adv, testemunhas, ré(u)s ou autores. Entao o q vc diz NAO PROCEDE. E o caso deste desembargador ficou bem claro q implicou com a aparencia simples ou colorida do vestido e nao com vulgaridade ou ele teria dito. De forma que é preciso parar de fazer acusações às colegas de vcs só por implicância. Pior prostituicao é a que temos visto no STF que age em favor fa corrupção. Antes fossem nus trabalhar mas agissem com a mais pura defesa da justiça. Isso sim devia indignar todos os advogados, homens e mulheres!

    • Wanderley disse:

      Tu tá com inveja né..
      Queria usar um vestidinho tbm né?

  12. Samyr disse:

    Ridículo. Com tanta coisa mais importante com o que se preocupar: Celeridade dos processos, o estrito cumprimento da lei, condições de trabalho e etc. e etc. O Sr. Desembargador se preocupa com a vestimenta da advogada que, convenhamos, não tinha nada de inconveniente, pois são trajes utilizados por qualquer mulher em seu dia a dia de trabalho. Realmente é de se envergonhar qualquer indivíduo, com uma mente um pouco mais aberta. Ser apegado a costumes do século XIX que em nada acrescentam às nossas vidas, é para se lamentar mesmo.

  13. Francisco disse:

    Corretíssimo o Desembargador, cada lugar requer trajes apropriados… Temos que ter bom censo quanto as nossa vestimentas, em respeito ao outro , ao lugar e ocasião. Parabéns ao Nobre Desembargador.

    • adonias disse:

      bom censo? espere aí!!! . Francisco, o senhor deveria escrever ” bom senso”……..E saiba que foi justamente bom senso que faltou ao desembargador.

    • Mariana disse:

      Considerando o que diz entao no STF por exemplo todos podem ir trabalhar de sainhas e meia arrastao ja que o STF tem mostrado ao mundo a quem servem…aqueles ministros têm picotado a CF, as Leis e agido em desacordo com a ética e à JUSTIÇA. Como sao verdadeiras PROSTITUTAS devem ir vestidas de sunguinhas e meias arrastao sutiens de couro ou quem sabe cuecões de couro. Porque o local é o reflexo da conduta dos seus servidores e se estes se comportam como vendidos entao…. o STF é praticamente um “rendez vous” para os outros prostitutos da Câmara do Dep Federais, do Senado, da Presidenciia, etc… Como vc pode ver… no Brasil nao existe mais locais de respeito. Claro q seria preferivel q fossem todos teabalhar nus mas fossem honestos, éticos e cumprissem uma Justica verdadeira! Mas por ora eles vao de termo e gravata mas pir baixo vestem o cuecão de couro e a meia arrastao. Sao verdadeiros PROSTITUTOS!

    • Hélio disse:

      O correto é “senso” Francisco.
      E você, nobre colega, é um idiota.

  14. Jânio Matos disse:

    É bem verdade que devemos preservar a liturgia da função é que os advogados devem zelar pela manutenção de um ambiente condizente com tão nobre atividade. No entanto, tem-se observado que essas atitudes praticadas por parte de magistrados estão mais a revelar sua personalidade caolha do que a exigir o real a real busca pela justiça.

    • ALFREDO disse:

      Uma vez uma professora, falando sobre ética profissional para estagiários de direito, disse: “O advogado tem, no seu modo de vestir, a sua publicidade” – o que me pareceu bastante verdadeiro. Ou seja, a vestimenta de cada qual é uma questão de bom (ou mal) gosto.
      E, como disse Machado de Assis, “se não fosse o mau gosto, o que seria do amarelo?”
      Eu tenho uma camisa amarelo-canário… Parem com bobagens.

  15. Antonio Amorim disse:

    Ué, porque ela não usou a toga que é disponibilizada para os advogados que fazem sustentação?… inobstante esta falha, fato é que este o Dr.Eugênio anda bastante ríspido em seus comentários durante os julgamentos (presenciei vários em sessão recente desta Turma Julgadora), ou seja, algo de errado há, e este “algo” está afetando seu desempenho profissional.

  16. Carlos Andrade Faria disse:

    É a justiça se ocupando de coisas relevantes, deviam se preocupar com a bandidagem que eles ficam liberando da cadeia. É um boçalidade.

  17. Jussara disse:

    Acho que Advogados, juízes ou Desembargadores deveriam estar mais focados nas falcatruas governamentais e menos preocupados com as vestimentas das mulheres.
    Eu, no lugar dela faria ele engolir a humilhação e pediria retratação.
    Esse Sr está preocupado com a aparência externa, o conteúdo não interessa.?
    Bando de falsos, demagógicos e prepotentes.

  18. João Queiroz disse:

    MERA DEMAGOGIA, FALSO MORALISMO
    A PRATICA HERMENÊUTICA NAO TEM COM PILAR O DESCARTE DO VESTUÁRIO SOCIALMENTE USUAL.

  19. Cris disse:

    Eu processava.pedia uma indenização por constrangimento. Pra aprender a se achar Deus!

  20. Francine da Costa Passos dos Santos disse:

    Realmente estamos longe de sermos uma nação livre do machismo. E esse se encontra em todos os níveis e classes sociais, esse comentário do Raphael reflete a pessoa dele, ou seja, ridículo!

  21. Azarias Esaú dos Santos disse:

    As pessoas são iguais ao vinho. Se são ruins, ao envelhecer tornam-se azedas; se são bons, ao envelhecer ficam mais apurados.

  22. Pablito disse:

    Tem de por ordem na casa. Se relaxar, parlamentares vão usar bermuda, chinelo e camiseta no congresso. É o fim da picada e da esculhambação e agora tbm nos tribunais??

    • Kênia disse:

      O fim da picada é quando o mosquito pica e vai embora. Em se tratando do assunto em questão vejo que lhe falta conhecimento sobre o fato. A vestimenta da moça não tira o seu conhecimento e sua capacidade laboral.

  23. Denise disse:

    Prefiro nem comentar a opinião ridícula do colega Raphael. Mais sou a favor do uso obrigatorio da beca em audiência.

  24. Giselda Alexandrino disse:

    Classe Desunida…
    Advogados machistas…
    Desembargado, sem educação, tanto estudo, pra nada. Desumano. Não precisava expor a Dra. a isso

  25. Cristina disse:

    Nossa…. cada comentário lamentável…como pode nossa classe ser tão desunida? Simples…aos advogados que reclamam que são obrigados a usar terno e as advogadas ficam “desfilando” ….bora colocar um vestido também meus caros…bora ser felize!!!

  26. adonias disse:

    Eu entendo que ele realmente deveria se retirar, e estaria tudo resolvido a contento. A advogada deveria se manter firme já que a roupa dela não comprometia em nada a formalidade do ato. Agora a furia o desrespeito a ignorancia deste desembaraçador de causos, sim comprometeu a imparcialidade do julgamento.
    Se ele tivesse que dar um voto na causa que a advogada sustentava, quem garante que ele iria ser imparcial. quem garante. A presidenta da sessão percebeu e até fez uma intervenção para corrigir o desembaraçador, mas o erro permaneceu.

  27. Dr. Poeta disse:

    ”Só sei que nada sei”

  28. DEISIMAR nobre disse:

    Isso tudo é frescura. O que importa é o conteúdo e não a embalagem. Isso é Descriminação, Para os quintos dos infernos as togas, os ternos, as gravatas, as bravatas destes homens cagões que se acham mais do que DEUS.

  29. André Guerra disse:

    Então… Deus se sentiu ofendido em seu decoro!?!
    Pena que não dá para processar o NOBRE desembargador…
    Ah… Por oportuno:
    Minha esposa é Advogada e se veste muito Dr. Rafael.
    Passar bem.

  30. Patricia disse:

    Então, cabe ao conselho ditar normas de etiqueta e vestimenta, para orientar seus participantes, como fazem as forças armadas, embora o decoro esteja mais nas atitudes que nas vestes

  31. Flávia F disse:

    A atitude do desembargador é condenável sim. Não há “mas”. Em uma audiência na frente de todos uma juíza me disse que eu deveria estar de salto e não de sapatilha. Que um salto dava elegância a mulher. Respondi a magistrada que se ela me mostrasse onde estava o dispositivo legal do salto eu usaria sem problemas, pois estaria seguindo a lei.
    Precisamos ser uma classe mais unida, pois todos nós em nossa vida profissional sofreremos com a prepotência de algum servidor.

  32. EDUARD disse:

    Antro de BANDIDOS, INÚTEIS, PARASITAS do dinheiro dos pobres.

  33. Francisco disse:

    Pelo vídeo existiam inúmeros colegas presentes, deveriam em massa, ter se solidarizado com a colega e chamado a Comissão de Defesa de Prerrogativas da OAB, suspendendo o ato jurídico, eis que se pergunta: Com que equilíbrio a colega termina a sua sustentação oral após ser humilhada pelo Sr. Desembargador, em questões pessoais e não atinentes a atividade profissional ali exercitada? Fica o repúdio ao ato do Desembargado e a solidariedade á colega ultrajada.

  34. Valeria Almeida disse:

    Aqui em Florianópolis tem Desmbargador aparecendo nu nas redes sociais..tempos estranhos ..

  35. Viviane disse:

    A Advogada passou por um constrangimento abusivo. Concordo que deve haver bom senso quanto a vestimenta,porém é comum as mulheres usarem vestidos… Usar roupas muito justas, curtas ou transparentes realmente é inapropriado. Todavia, não cabe esse tipo de repreensão.
    Não existe hierarquia entre advogados e magistrados, mas eles fazem questão de agir como se houvesse.
    Ao falar de trajes formais, também não podemos esquecer que custam caro, e que infelizmente a profissão da advocacia está precarizada,os valores das indenizações dadas pelos magistrados são ridiculamente baixas e quando funcionários “associados” os advogados recebem baixos salários, e trabalham com uma carga horária absurda… Não existe qualquer fiscalização quanto a isso, o que eu considero muito estranho.
    Geralmente os donos de escritórios são também advogados. E fora o preço baixo que alguns oferecem quando precisam de outro profissional para audiências. Cadê a união da classe!

  36. Cleber disse:

    O TRAJE que deveria ser obrigado a usar, seria o traje ou a vestimenta de moral, idoneidade, imparcialidade e justiça….. trajes esses cada vez mais escassos no judiciário, porém fundamenis no devido processo legal!
    Deixe a princesa com seus vestidinho….!
    Linda gostosa e maravilhosa!

  37. Daiana Garcia disse:

    Sou só eu que realizei audiências no 1 grau em que tanto juiz, quanto promotor de justiça estavam vestidos como um “servidor comum”? Juíza de blusa básica, calça jeans, bota ou sapatinho. Promotor de justiça de camiseta gola polo, jeans, botina ou tênis esporte (é, tênis mesmo, daqueles de corrida)! Mas só enxergam o(a) Advogado (a), né. Claro que em uma sustentação oral, ninguém vai de tênis e camiseta ou chinelo, mas um vestido comportado, sem blazer, qual é o problema? É o fim da picada a atitude do desembargador. No lugar da Adv eu teria deixado ele se ausentar da audiência, prejudicar o andamento processual e a parte, e faze-lo arcar com as consequências do seu comportamento inconsequente.

  38. Fátima Morais Carneiro disse:

    O Desembargador tem que avaliar o conhecimento do profissional em defesa do seu cliente. A roupa não é impossicao de respeito! Respeito se conquista! Ele foi muito mal educado.

  39. Ferreira disse:

    Sabemos que é indispensável a harmonia entre Juízes (as) e Advogados(as), entretanto, para equiparar uma vestimenta nas suas formalidades arcaicas para um ato no Tribunal não ensejaria tanto desrespeito para com a Sra. Advogada. Há outras formas de atuar e o Sr. Dr. Desembargador foi ridículo, autoritário e descontrolado ao ponto de expor sua incompetência para um caso tão simples, ameaçando deixar a Sessão. Errou duas vezes, pela forma abusiva de agir, ao invés de solucionar ou complementar uma ocorrência, e depois pretender deixar o local. Dr. Desembargador, NAO SE ESQUEÇA QUE V. EXA. É MEU EMPREGADO, PAGO POR MIM E TANTOS OUTROS BRASILEIROS E BRASILEIRAS, não intocáveisconcordamos com a forma em que tratou a nobre profissional, saia do Séc. XIX e veja que o modo machista de tratar as pessoas acabou . Vossa atitude será em breve apenas uma das páginas mortas na literatura trabalhista, talvez não estejamos aqui pra ver, como bem citado noutros comentários a turma do Vale do Silício vai implodir Fóruns e Tribunais, extinguir cargos e “reinados” até então aparentemente intocáveis. Serão aplicativos dispensando presenças, julgadores e instalações físicas, formalidades desaparecerão. E antes disso, não seria possível V.. Exa. contribuir para alterar esses regimentos arcaicos, abolir essa aberração de uso de gravata e palitó, ao invés de “terninho’ feminino? E o dia que V. Exa. se deparar com um ” fato do Séc. XXI”, a atuação de um homossexual ou um transexual, o Dr. irá definir qual o banheiro deverão usar, já que os sanitários estão identificados “homem” – “mulher”? E o uso de “terninhos rosa” serão proibidos? Francamente, são outros tempos e outras pessoas Dr, mas o respeito prevalece para com o ser humano, MODERNIZE-SE!

  40. Markin disse:

    Ele deve ser um gay enrustido e ficou com inveja da advogada…. infundadas as alegações desse senhor

  41. Alvimar disse:

    Tanta coisa para resolver, mudar neste país e o desembargador preocupado e indignado pq a Dra. está de vestido de alças.

    É o cumulo do absurdo tanta hipocrisia. Naturalmente está de mau humor, se aborreceu em casa e joga seu mal humor no trabalho. Palhaçada!

  42. Milena disse:

    Além de lamentar, o TRT tem é que punir esse senhor, porque a atitude dele denigre a atuação da Justiça. Humilhação e falta de urbanidade de trato ferem a dignidade profissional não só desta advogada, como de todos nós, que nos vemos reféns dos humores de juízes e para evitar prejuízo aos nossos clientes, não denunciamos esse tipo de absurdo. Tomará que ela o processe e ganhe bastante dinheiro para comprar quantos vestidos ela quiser.

  43. Aristóbulo disse:

    Às vezes eu me sinto triste por ter escolhido ser designer gráfico, uma profissão que paga muito mal, mas quando vejo essas bobeiras eu fico feliz por saber que posso trabalhar super mulambento e ninguém dá a mínima pra isso rsrsrs

  44. Vicente Vieira disse:

    Como se terno e gravata, assim como hábito conventual represente competência, idoneidade e honradez!! Já dizia o avoengo adágio “por fora boa viola, por dentro pão bolorento”.

  45. Hernane disse:

    É deplorável q o Desembargador faça uso de seu acento para dar lição de moral e humilhar uma mulher, que está nessa luta árdua da Advocacia. Atitude covarde de quem não tem noção de suas atribuições e responsabilidades. Ou mesmo q se acha superior.

  46. Luigi disse:

    Ela era pelo rcte ou pela rcda? Isso explica muita coisa… advogado de pobre só toma na cabeça!

  47. João Gabriel Carneiro disse:

    A ofensa desse desembargador perpetrada à nobre colega deve ser repudiada pela OAB através de farta divulgação na mídia por meio de Nota de Desagravo. Outrossim, cabe à nobre colega intentar medida judicial de reparação de danos que, por certo, será obtida indenização compatível com a ofensa feita pelo juiz, o qual não detém competência para dizer o que disse.

  48. Luigi disse:

    Ela era pelo rcte ou pela rcda? Advogado de pobre toma na cabeça!

  49. Bruna disse:

    Mais um exemplo de ”Desembargador” sem ética alguma, quem está precisando ler a CF e o Código de ÉTICA novamente é ELE, que preferiu ofende-lá em público para se sentir ”O PODEROSO”, a Advogada pode até ter errado, mas NADA justifica a atitude grosseira desse senhor. Dizem que o BRASIL não vai pra frente por causa de uma POLÍTICA corrupta, mas esquecem que a JUSTIÇA É FALHA e contribui para que isso também não aconteça. Inúmeros processos são julgados diariamente IMPROCEDENTES por esses que se intitulam ”DESEMBARGADORES” apenas por status ou questão social, onde muitos deles chegaram nessa posição apenas por ter ”padrinhos” dentro de um TRIBUNAL. E nem se quer se preocupam com a causa que realmente tem importância, preferem se ocupar com coisas banais e até mesmo a vestimenta do outro, ao invés de TRABALHAR MAIS e FALAR MENOS. Deixo aqui meu repúdio a essa situação vergonhosa! Errar é humano, ninguém sabe a condição ou a situação que a pessoa estava passando nesse dia, tenho certeza que NUNCA MAIS ela vai deixar de usar o traje forense. Mas falta de caráter é algo que NÃO MUDA!

  50. ALFREDO disse:

    Uma vez uma professora, falando sobre ética profissional para estagiários de direito, disse: “O advogado tem, no seu modo de vestir, a sua publicidade” – o que me pareceu bastante verdadeiro. Ou seja, a vestimenta de cada qual é uma questão de bom (ou mal) gosto.
    E, como disse Machado de Assis, “se não fosse o mau gosto, o que seria do amarelo?”
    Eu tenho uma camisa amarelo-canário… Parem com bobagens

  51. Marcos disse:

    Frescura! Se ocupar com o que realmente importa.

    • Paulo Soares disse:

      Esse desembargador, deveria interpretar a defesa da advogada e não sua forma de se vestir, o que estava em jogo era apreciação dos fatos traído, ele preferiu interpretar o que não deveria. Feio e ilegalidade acontece no congresso, todos os dias com os linguajás chulos, feio fez o Gilmar Mendes, conceder HC para um empresário, ele é padrinho de casamento da filha desse empresário, sr barata, daqui do RJ.

    • Mary disse:

      Concordo. Argumentar se faz através do verbo e não dá roupa. Aqui no Brasil médico e advogados são tratados como doutores sendo que não tem doutorado em nada. Quanta arrogância.

  52. Paulo disse:

    Se os canalhas tivessem o mesmo respeito que devotam aos símbolos, bandeiras, “frufrus” e rapapés PELA JUSTIÇA teríamos alguma esperança!!!!

  53. Jan disse:

    Se eu fosse um dos presentes, emprestava o blazer que estava usando. Simples e resolveria o ocorrido. Toca o barco.

  54. Elizabeth Jacobsen disse:

    Considerando o alegado pelo próprio tribunal, qual a penalidade aplicado ao “ilustre” desembargador.

  55. josé Carlos dos santos disse:

    A Advogada deveria ter passada na sala da OAB e pedido uma BECA.

  56. Acho que is juizes do trabalho se preocupam demasiadamente com o figurino. Deveriam ser estilistas.
    ” Não é acroupa que faz o homem. O homem faz a roupa”.

  57. Edfrance disse:

    Por que nenhum dos advogados presentes levantou em defesa da colega? Ou então todos? Se o desembargador faz isso é porque não há união, corporativismo e respeito à classe,.

  58. Arbaldo disse:

    Esse desembargador além de cego, não tem respeito e ética!!! Tinha que ter falado algo parecido comigo!!!

  59. Laercio disse:

    Essa exposição à colega foi absurda é a OAB deveria representar esse desembargador ao CNJ.

  60. DR. Nascimento disse:

    É isso ai galera, o lance esse mesmo liberdade pra usarmos o que quiser, qual é o problema de fazer audiencia de sunga de praia e camiseta, afinal os bandidos usam ternos nao é mesmo, se a mulherads que ir pra audiencia vestida com pouco ou quase sem nenhuma roupa, qual é o problema? O lance eliberar geral, a profissao de advogado ja esta desmorslizada mesmo. E outra, tudo que é tradicao esta sendo derrubado nesse país, pra que usar vestimentas que reflitam o protocolo e a seriedade de nossa profissao? Nao tem sentido. Não sei pra onde estamos caminhando, mas é pra um lugar bem ruim.

  61. Sebastiana disse:

    Lamentável o que aconteceu com uma colega, estar bem vestidos faz parte da nossa profissão, ter uma boa aparência faz bem até pro nosso ego, mais o que vale é o que está dentro da cabeça e não a roupa eu ouvi essa frase de um dia de um Juiz, um juiz que hoje é desembargador.

  62. Sergio disse:

    Doutor é aquele que fez doutorado. Os advogados em geral não fazem nem mestrado e querem ser chamados de doutor.

  63. decio disse:

    o problema é que a advogada infelizmente não tem o auxílio paletó que este desembargador imbecil tem, essa cara constrangeu a advogada e merecia um chamado do CNJ, tenho vergonha do judiciário brasileiro

  64. rodrigo disse:

    Que papo mais canalha e machista.

  65. Rosangela disse:

    Tanta discussão por causa de uma advogada de vestido para facilitar a amamentação de seu bebê. Entretanto o STF cheio de bandidos arrumados liberando canalhas que usurparam o nosso dinheiro, ou seja, só olham as futilidades! O melhor de hoje foram os comentários. Morrendo de rir! Thanks!

  66. O que fere mais o decoro: o vestido da advogada que deixa os ombros à mostra ou o salário bruto de R$39.996,94 do citado desembargador?
    Fonte: https://sistemas.trt18.jus.br/remuneracao/index.php

  67. Sonia Mayrink ( e38 anos de advocacia ) disse:

    No estado que estamos vivendo no judiciário o D. foi desrespeitoso não só com a advogada como por ser mulher , nenhum advogado lá presente tomará nenhuma atitude , predica um membro da OAB ESTAR PRESENTE . CRIME DE DISCRIMINAÇÃO COM A MULHER ADVOGADA , desagravo nela e imediato , enquanto temos um GILMAR MENDES ARBITRÁRIO . Tenho vergonha deste Judiciário mas tenho orgulho de ser advogada , tomara que no meu próximo processo caia como mesmo Juiz que saberei como-me defender ! Está advogada permaneceu inerte como todos os outros colegas, por favor eu clamo , advocacia em união por favor . Vergonhoso Dr. Magistrado , discriminação por ser advogada e mulher !

  68. Silvio Costa disse:

    Absurdo!!! Prepotência do Desembargador e este tipo de comportamento deve ser repudiado e denunciado amplamente.

  69. MChristin disse:

    está certo…. advogada tem que saber se vestir, sem falar nesse cabelo horroroso

  70. Denise Campos disse:

    O juiz poderia ter resolvido a questão de forma diferente: mais humana; mais digna; com mais respeito à advogada; com respeito aos presentes; restrita; mas ainda somos advogados (as) devemos observar as regras, enquanto “assim” elas forem, só acho.

  71. João Radel disse:

    É certo que a colega não recebe o auxílio paletó que sua excelência deve receber.
    Fiquei enojado.
    Uma vergonha o proceder do Magistrado.

  72. adhemir martins disse:

    Ele nao è chegado.

  73. José Bentes disse:

    Não havia nenhum cavalheiro no recinto forense capaz de ceder o seu terno para a advogada? Que interessante à tão nobre Justiça Brasileira.

  74. Jammes Rodrigo Calaça Cunha disse:

    Penso que, acima da qualidade do que se veste, temos que prezar pela qualidade dos argumentos, o mútuo respeito e o devido cumprimento das leis, regimentos, estatutos, etc. O traje é um mero detalhe, ou pelo menos deveria ser.

  75. ANDERSON disse:

    Me desculpem a todos mas é a minha opinião: Toda profissão tem suas vestimentas e acredito que é totalmente ético vestir-se adequadamente seja onde for. Médicos, carteiros, engenheiros, enfermeiros e etc… Seguir padrões faz parte e sobre o comentário abaixo de que é possível ver advogadas vestidas inadequadamente é totalmente válido como em outras profissões.

    Abraços!!!

  76. Justina de Lara disse:

    Segundo a norma do desembargador, um médico, curtindo uma praia, de sunga, ou médica, de biquíni, não poderiam prestar socorro a uma vítima, com seus conhecimentos, porque não estão com a roupa adequada… Poupe-nos: o advogado ou a advogada tem que demonstrar conhecimento técnico, não andar vestido (a) de pinguim.

  77. Adilson Lira disse:

    Esse tal Dr. Eugênio é um tremendo idiota! Ele é que não está à altura do cargo/função que ocupa! Tamanha imbecilidade não deveria mais caber nos nossos tribunais nós dias atuais! A advogada agredida; constrangida; humilhada, deveria sim representar esse energumeno, não apenas na OAB, mas também no CNJ- Cobselgo Bacional de Justiça, e ainda, ingressar com uma ação indenizatória contra esse “desembargadorzinho medíocre!” Ele é que envergonha nossa justiça e também nossa sociedade, com postura tão ignorante!

  78. Adilson Lira disse:

    Esse tal Dr. Eugênio é um tremendo idiota! Ele é que não está à altura do cargo/função que ocupa! Tamanha imbecilidade não deveria mais caber nos nossos tribunais nós dias atuais! A advogada agredida; constrangida; humilhada, deveria sim representar esse energumeno, não apenas na OAB, mas também no CNJ- Cobselgo Bacional de Justiça, e ainda, ingressar com uma ação indenizatória contra esse “desembargadorzinho medíocre!” Ele é que envergonha nossa justiça e também nossa sociedade, com postura tão ignorante! Com Representantes desse naipe, nisso Poder Judiciário caminha para o abismo! VERGONHOSA A ATUAÇÃO DESSE CARA!

  79. CLAUDINEIA LAGE disse:

    Advogado não tem auxílio paletó. Moradia. Auxílio para creche de Filho. Esses Deuses deveriam estar no Céu se é que serão aceitos por lá.

  80. GILCIMAR EDUARDO disse:

    Não generalizo, mas uma grande parte das advogadas, se vestem muito mal, aliás, algumas nem se vestem!
    Vemos advogadas com mini saias, algumas quando se sentam, os advogados, juiz e, cliente tem que vira o rosto para o outro lado, para não ver o que a advogada quer mostrar, não há como conversar com advogada que usam esses tipos de mini roupas, temos que ter muito cuidado, é uma verdadeira armadilha para os homens, pois elas podem de uma forma sagaz entrar com uma ação contra qualquer homem por assédio, algumas mulheres são perigosas, por essa e, outras razões, a mulher tem que ser Sábia e não Tola, as advogadas tolas com suas mini roupas se tornam ridículas, não me refiro a advogada desse episódio, não estava ela indecente, mas ali não era uma festa, tem que separar as coisas; agora essas advogadas que colocam mini roupas para representar o seu cliente ou não, para mim isto é falta de decoro e, atentado ao pudor.
    Vejam:
    Eva derrubou Adão;
    Dalila derrubou Sansão;
    Jezabel derrubou Acabe;
    Dilma derrubou Lula; e, o ciclo continua!
    Meu nome: GILCIMAR EDUARDO em favor da Vida, da Verdade e da Justa Justiça dO ETERNO DEUS VIVO Invisível mas Real.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.