Deputados questionam rapidez da entrega de relatórios e cobram mudança no regimento

 “É humanamente e democraticamente impossível uma Casa funcionar como esta. Um processo ser apresentado às 15h, ir pra comissão receber pedido de vistas, receber imediatamente relatório para ser votado em 24 horas”, disse Karlos Cabal (PDT)

Comissão Mista da Assembleia Legislativa de Goiás | Foto: Alego/Divulgação

Após alguns projetos serem lidos na sessão ordinária desta terça-feira, 10, na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) e já receberem relatoria e pedido de vistas na Comissão Mista, deputados da base e da oposição criticam celeridade da Casa.

A discussão começou depois que Vinícius Cirqueira (Pros) chamou atenção para matérias que são aprovadas sem que os parlamentares tenham conhecimento de seu teor. “Processos como este, que a gente aprova e só sabemos o dano que causa depois que lemos na mídia, são uma vergonha para esta Casa”, declarou.

Karlos Cabral (PDT) também endureceu. “É humanamente e democraticamente impossível uma Casa funcionar como esta. Um processo ser apresentado às 15h, ir pra comissão receber pedido de vistas, receber imediatamente relatório para ser votado em 24 horas. Eu tenho compromissos hoje a noite e nem se eu quisesse conseguiria ler até amanhã”, afirmou.

Major Araújo (PSL) concordou. “Eu leio esses processos, eu devo ser muito burro. Tem uns relatórios que são muito complexos, eu tenho dificuldade”, disse. “Gostaria de parabenizar o deputado Álvaro Guimarães (DEM) por conseguir relatar tantos projetos em tão pouco tempo, alguns tem mais de 100 páginas. Ele deve ter algum pós-doutorado e leitura dinâmica”, ironizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.