Deputado quer reforço em prédios públicos da capital, mas prefeitura já tem projeto

Bruno Peixoto (PMDB) quer instalação de sistemas de vídeo, alarmes e cercas de eletricidade. Guarda Municipal afirma que contingente é insuficiente

Projeto é do deputado Bruno Peixoto | Foto: Marcos Kennedy/Assembleia Legislativa

Projeto é do deputado Bruno Peixoto | Foto: Marcos Kennedy/Assembleia Legislativa

A solução para reforçar a segurança dos prédios públicos de Goiânia é a instalação de câmeras de vigilância, alarmes e cercas elétricas. Pelo menos é o que defende o deputado estadual Bruno Peixoto (PMDB).

Segundo proposta a ser apresentada pelo peemedebista na Assembleia Legislativa, é preciso incrementar o esquema de proteção das unidades da prefeitura da capital. “Todas as escolas, unidades de saúde e demais prédios públicos precisam ter um sistema eletrônico de segurança monitorado. Isso, além de ajudar na proteção dos bens e da população, vai colocar os guardas [civis metropolitanos] nas ruas para auxiliar a Polícia Militar, que hoje tem efetivo insuficiente”, argumenta.

Contingente

Atualmente, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) conta com menos de 1500 agentes. Eles são responsáveis pela segurança dos bens, prevenção de danos ao patrimônio público, sinistros e atos de vandalismo. A constatação é do presidente do órgão, Elton Magalhães. “Seriam necessários pelo menos 4 mil agentes para atender à demanda.”

De acordo com Elton Magalhães, o número é insuficiente e grande parte do efetivo, que poderia estar nas ruas, fica nos órgãos públicos, até mesmo quando estão fechados.

A Prefeitura de Goiânia tem projeto de monitoramento eletrônico na Secretaria Municipal de Educação. Câmeras de vigilância foram instaladas no Setor São Francisco e, desde então, as ocorrências no local já caíram 73%.

Além desse bairro a Rua 10, no Setor Universitário, o setor Campinas e o Parque Vaca Brava, no Bueno, já contam com equipamentos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.