Deputado não consegue apresentar provas ao TSE de que há fraudes em urnas eletrônicas

O deputado de São Paulo, Castello Branco de Luca (PSL), disse que apenas reproduziu o que ouviu de eleitores

O corregedor do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Felipe Salomão, fez um pedido no dia  21 de junho para que o deputado estadual Castello Branco de Luca (PSL), apresentasse uma prova das suas queixas de que o sistema eleitoral brasileiro sofria fraudes. Hoje, segunda-feira, 19, o deputado encaminhou um ofício ao TSE afirmando que não podia provar sua acusação, porque apenas reproduziu o que ouviu de eleitores.

No documento enviado ao TSE, Castello Branco afirma que “apenas vocalizei queixas de eleitores” e que ouviu “centenas de reclamações sobre possíveis indícios e suspeitas de irregularidades do funcionamento das urnas eletrônicas feitas por eleitores de São Paulo”. Contudo, não tinha nenhuma prova concreta dos fatos e concluiu dizendo que “apesar dessas reclamações feitas por eleitores, não houvera a impugnação exigida em conformidade do que disciplina o ordenamento legal e, muito menos chegou a mim provas de materialidade de eventuais irregularidades”.

O ministro Salomão também fez o mesmo pedido ao presidente Bolsonaro e a Cabo Daciolo que fizeram também a mesma acusação contra o sistema eleitoral brasileiro. Até agora, nenhum dos dois apresentou resposta ao TSE.

*Com informações da Uol Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.