Deputado diz que popularidade de Caiado não representa real intenção de voto

Para Francisco Jr., senador chama atenção pelo discurso, mas isso não significa que população vê nele as condições necessárias para governar o Estado

O deputado estadual Francisco Jr. (PSD) comentou, em entrevista ao Jornal Opção, o levantamento do Paraná Pesquisas sobre a intenção de voto para o Governo do Estado em 2018. Divulgada nesta semana, ela mostra o senador Ronaldo Caiado (DEM) em primeiro lugar, com 44% dos votos, seguido pelo vice-governador José Eliton (PSDB) e o deputado federal Daniel Vilela (PMDB), respectivamente com 10,4% e 10,3%.

Para Francisco, esta e qualquer outra pesquisa neste momento servem para dar um panorama da percepção que a população tem dos principais candidatos. “É importante apenas para trazer informações pra compreendermos como a população está assistindo, mas não consigo identificar como intenção de voto ainda”, pontuou ele.

Na sua análise, os dados que mais chamam a atenção são, na verdade, os números de José Eliton e Daniel. Isso porque Caiado na frente, opina ele, é um reflexo natural de sua postura oposicionista e de seu destaque no Senado, na mídia e nas redes sociais. “O Caiado está em evidência, mas não é uma decisão em qualquer nível pelo voto, quer dizer que há uma satisfação com a postura dele, ele está falando da indignação que o cidadão está.”

“Em relação ao Caiado, eu vejo como natural nesse momento, ele tem visibilidade, é um senador que tem uma presença de tribuna muito grande, sempre em situação de oposição, com uma postura aguerrida”, analisa Francisco. “Nesse momento, isso agrada muito o cidadão, que está vendo o espetáculo político.”

Lembrando o caso do deputado federal Delegado Waldir (PR), que não conseguiu vencer as eleições pela Prefeitura de Goiânia, ele acrescentou que popularidade nem sempre significa voto. “As urnas demonstraram que as pesquisas iniciais, na prática, tiveram pouco efeito eleitoral”, avaliou.

“Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa: Existe o exercício do mandato satisfatório, do ponto de vista de representar a indignação do povo com o lamentável momento político que nós vivemos, a outra coisa é a pessoa demonstrar condições de governar o estado, então o eleitor hoje consegue separar essas duas coisas”, acrescentou ele.

Quanto ao vice-governador, Francisco ressaltou que José Eliton nunca foi candidato (apenas a vice) e, por essa razão, seus números demonstram um nível “significativo” de conhecimento entre o eleitorado. “Se pegarmos as últimas eleições, governador Alcides Rodrigues, Maguito Vilela, Marconi, a esta altura do campeonato, nem apareciam ou estavam com, se não me falha a memória, 2%. Em um momento de crise, em que quem está ocupando cargo de Executivo está sendo atacado, a população está enxergando nele uma alternativa.”

Por fim, acrescentou Francisco, os números de Daniel refletem a sua atuação como pré-candidato ao governo e também não representa, ainda, a real intenção de voto. “Eu vejo que o jogo começa a ser delineado, mas ainda falta muito tempo e ele pode trazer muitas mudanças até lá”, concluiu o deputado.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.