Deputado afirma que reforma do secretariado de Marconi deve ficar para 2017

Segundo Talles Barreto, governador ainda não se decidiu sobre quem ocupará pastas sem titular e nem quem deixará de ser secretário

O deputado estadual Talles Barreto (PSDB) afirmou, em entrevista ao Jornal Opção, que a reforma do secretariado do governador Marconi Perillo (PSDB) deve ficar para 2017. Segundo ele, ainda não há definição quanto a quem deixará o cargo e nem quanto a quem assumirá as pastas sem titulares.

Questionado sobre a possibilidade de ele ser convidado para assumir alguma delas, Talles nega que tenha recebido algum convite formal do governador. O deputado é cotado principalmente porque não foi oficializado como novo líder do governo na Assembleia, função que será de Francisco Oliveira (PSDB).

Desde março de 2016, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED) é comandada pelo superintendente-executivo da pasta, Luiz Maronezi. Ele ocupou o cargo depois que o deputado federal Thiago Peixoto (PSD) o deixou para reassumir cargo na Câmara dos Deputados e votar pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Em seguida, o vice-governador José Eliton (PSDB) decidiu deixar a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP). Quem está à frente da pasta atualmente é o Coronel Edson Costa.

Na semana passada, mais uma secretaria, a da Mulher, Desenvolvimento Social, Igualdade Racial, Direitos Humanos e do Trabalho (Cidadã), ficou sem titular, quando Lêda Borges reassumiu mandato na Assembleia Legislativa. A secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, também já anunciou que sairá do cargo em janeiro de 2017.

Além desses nomes, o governador poderá mexer em outras pastas. O motivo são queixas de deputados estaduais quanto a atuação deles nestas secretarias. Em reunião no início do mês, parlamentares reclamaram com Marconi sobre a falta de disponibilidade de alguns titulares em atender suas demandas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.