“Decisão é ilegal e equivocada”, diz advogado de Zander sobre afastamento do vereador

Tito do Amaral já afirmou que entrará com um pedido de habeas corpus contra a sentença, que considera “antecipação de culpa”

O advogado do vereador Zander Fábio (PEN), Tito do Amaral, afirmou que a decisão do juiz Marcelo Fleury Curado Dias, da 9ª Vara Criminal de Goiânia, de afastar o vereador de seu mandato é injustificada. “Nós entendemos que essa decisão de afastá-lo é ilegal, totalmente equivocada, infundada não há razão para isso”, declarou ele.

“Os fatos apurados ocorreram há muitos anos e devo impetrar um habeas corpus ainda hoje para que ele seja reconduzido ao mandato lhe foi conferido pelo povo”, adiantou o advogado, que ainda não foi notificado formalmente da decisão.

Para Tito, afastar Zander antes de uma condenação é “antecipação de culpa”. “Se forem afastados todos os políticos afastados hoje, complica. O Ministério Público é que tem que provar a culpa dele. Além disso, se ele fosse essa mente criminosa, o afastamento o impediria de cometer crimes?”, questionou.

Se a decisão não cair, é preciso que o presidente da Câmara Municipal, Andrey Azeredo (PMDB) seja notificado e determine o afastamento de Zander.

Decisão

Na sua decisão, o juiz Marcelo Fleury determinou o afastamento cautelar de Zander por 180 dias ou até a conclusão da instrução processual, acatando pedido do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), por envolvimento nas irregularidades apuradas pela Operação Multigrana.

O magistrado entendeu que o afastamento se faz necessário pois, segundo a denúncia, ele teria usado sua influência política e o cargo de vereador na legislatura passada (2013 a 2016) para a prática dos crimes.

Além disso, foi determinado o bloqueio dos bens de todos as 10 pessoas denunciadas pela MP, inclusive o ex-presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Dario Paiva e o ex-diretor do mesmo órgão Geraldo Magela.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.