A empresária foi assassinada a facadas em sua loja no dia 7 de outubro de 1996. Os acusados são Frederico Rocha Talone, sobrinho de Martha e responsável por serviços de contabilidade da empresa, e o policial militar Alessandri de Rocha Almeida

O assassinato da empresária Martha Cozac e de seu sobrinho, Henrique Talone, de 11 anos, foi cancelado na tarde desta terça-feira (16/8). Com a concessão de habeas corpus para um dos acusados, o policial militar Alessandri de Rocha Almeida, a sessão não acontece mais no dia 8 de outubro e segue sem data até o momento.

[relacionadas artigos=”4758″]

Os integrantes da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) aceitaram o pedido que alegava a existência de pendências de recursos constitucionais em isntâncias superiores, como no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O crime, que aconteceu em 7 de outubro de 1996, seria julgado no dia 8 de outubro.

O Crime

A empresária e o sobrinho dela foram assassinados a facadas no interior da confecção Última Página, localizada no Setor Sul em Goiânia. O segundo acusado, Frederico Rocha Talone, era sobrinho de Martha e era responsável por serviços de contabilidade da empresa. Eles teriam roubados documentos, cartões de crédito e de banco, aparelho de som, joias, dinheiro e um cheque preenchido e assinado pela empresária.

No dia do crime, Martha havia retornado de uma viagem na cidade de Cristalina, a 174 km de Goiânia, e entrou em contato por telefone com Frederico, solicitando que ele fosse até a loja no dia seguinte para entragar cheques de terceiros. No mesmo dia os dois acusados foram à confecção, por volta das 23h, e aplicaram na vítima golpes de artes marciais em regiões vitais do corpo. Logo após, eles amarraram Martha e aplicaram golpes de faca. O sobrinho da vítima foi morto em seguida por ter presenciado o crime.