Daia recebe R$ 11,5 milhões em obras de infraestrutura de nova área

Novo espaço, conhecido como DAIA 2, terá capacidade para abrigar mais 76 empresas de médio e grande porte

Foto: Divulgação

Para garantir a infraestrutura básica na nova área de 67 hectares do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), o governo de Goiás vai investir R$ 11,5 milhões através da Companhia de Desenvolvimento Econômico (Codego). A informação é do secretário estadual de Desenvolvimento (SED), Leandro Ribeiro, que, na manhã desta quinta-feira (2/8), visitou algumas indústrias do Distrito.

Segundo o secretário, o Daia deixou de receber muitas indústrias por falta de área, mas agora este problema está superado. A nova área do polo industrial, já conhecida como Daia 2, terá capacidade para abrigar mais 76 empresas de médio e grande portes que vão gerar mais de 2 mil empregos diretos. Entre elas, o grupo Foianesi, de São Paulo, que vai investir mais de R$ 200 milhões para instalar duas indústrias de equipamentos e de produtos farmacêuticos, cujos protocolos de intenções de investimentos já foram assinados com o Governo.

A área de expansão do Daia fica perto do Laboratório Teuto e será entregue com todas as obras de infraestrutura básica como pavimentação de vias, instalações de redes de água e de esgoto, drenagem, iluminação e toda a parte de telecomunicações. As novas áreas industriais estarão disponíveis para as empresas já a partir do próximo semestre.

Leandro Ribeiro espera que, nos próximos dias, a Prefeitura de Anápolis libere as licenças ambientais da nova área do Daia para que a Codego inicie, imediatamente, as obras de infraestrutura. Ele informou, também, que todas as 170 empresas instaladas no polo, algumas há 40 anos, tiveram, este ano, suas áreas regularizadas junto à Prefeitura local, graças ao esforço do Governo de Goiás e do prefeito Roberto Naves.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia), Anastácios Apóstolos Dagios, aplaudiu o anúncio da expansão do Daia e lembrou que esta é uma antiga reivindicação dos empresários dentro do Pacto por Anápolis. “Temos certeza que, a partir de agora, nosso município voltará a crescer em ritmo mais acelerado, vai gerar mais empregos e renda e melhoria da qualidade de vida da população”, destacou.

O Daia foi inaugurado em 1976 e ocupa uma área atual de 873 hectares (8.73 milhões de metros quadrados). É o maior polo industrial do Centro Oeste onde estão localizadas 170 empresas, que geram 20,3 mil empregos diretos. No polo estão empresas de diversos ramos de atividades, como indústria automobilística, o segundo maior polo farmacêutico do País, empresas de embalagens, de logísticas, de alimentos, de bebidas e outras, além de uma Estação Aduaneira (Porto Seco).

O titular da SED destacou que Anápolis tem sido o município goiano que mais tem recebido intenções de investimentos privados, graças à sua localização estratégica, a sua infraestrutura e por ser servida com vias rodoviárias, ligando o Norte ao Sul do País, por vias ferroviárias e aéreas. O município tem mais de 40 mil empresas ativas que movimentam um PIB de R$ 13,3 bilhões, de acordo com dados do IBGE e do Instituto Mauro Borges da Secretaria de Gestão e Planejamento. A maior parte da riqueza do município é gerada pelas empresas localizadas no DAIA.

Anel viário

Para dar suporte ao escoamento da produção e descongestionar o trânsito da BR-153 e do Centro de Anápolis, o Governo de Goiás, através da SED, está concluindo as obras de 7.70 quilômetros do anel viário, com investimentos da ordem de R$ 14 milhões. Os outros 15 quilômetros são de responsabilidade do Governo Federal.

Outra obra que também vai ajudar a atrair mais empresas para o Daia é a da ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos. Os investimentos chegam a R$ 9,3 milhões. Quando concluída, terá capacidade para tratar mais de 300 mil litros/hora de esgotos, atendendo mais 120 empresas, informaram o diretor técnico da Codego, Izelman Oliveira da Silva, e o chefe de Gabinete da empresa, Marcu Antônio Bellini.

Deixe um comentário