Culpar Paulo Garcia pelo acidente no Mutirama é cruel e irresponsável, diz deputado

Humberto Aidar (PT) lamenta tentativas da gestão Iris de jogar nas costas do ex-prefeito: “Se tem alguém responsável é a atual administração”

Deputado estadual Humberto Aidar | Foto: Ruber Couto/ Alego

O deputado estadual Humberto Aidar (PT) contou, durante entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (1º/8), que o falecido ex-prefeito Paulo Garcia (PT), vítima de um infarto, ficou arrasado ao ver seu nome sendo apontado como o culpado pela tragédia no parque Mutirama.

Segundo ele, o colega de partido foi um cidadão e médico que salvou várias vidas e acabou sendo arrastado para um escândalo de forma injusta. “Magoou muito o Paulo [Garcia] a atual administração imputar a ele culpa do acidente. Imputar culpa a ex-prefeito, a ex-administrador, é no mínimo irresponsabilidade, covardia e crueldade”, disse.

No dia 26 de julho, 11 pessoas ficaram feridas, sendo três em estado grave, após um brinquedo no Parque Mutirama quebrar e arremessar visitantes no chão. Segundo informações preliminares, a atração chamada “Twister”, que eleva cabines no ar e gira, sofreu uma pane, jogando as pessoas ao chão. Após o ocorrido, o Ministério do Trabalho interditou o parque e a Polícia Civil abriu investigação contra a gestão Iris Rezende (PMDB).

Nas redes sociais, surgiram boatos de teria sido na gestão do ex-prefeito Paulo Garcia (PT) que o brinquedo foi comprado, o que não é verdade. O “Twister” está no parque desde 1997.

“Administrador tem que pegar e tocar a gestão e não ficar culpando a passada. Até porque o PMDB fez parte da administração do Paulo [Garcia] até o final. Uma das grandes falhas do Paulo [Garcia] foi não ter tido a coragem, talvez pela sua postura muito ética, de vir a público e contar o que sabia. Paulo sofreu desmandos do PMDB calado, depois foi apunhalado”, lamentou.

Humberto Aidar garantiu, ainda, que o PT irá buscar incansavelmente, por meio da polícia, do Ministério Público e da Justiça, comprovar que o acidente aconteceu por falta de manutenção por parte da atual gestão. “É um momento de luto, mas não dá para se calar com mais uma injustiça imputada ao Paulo [Garcia]”, completou.

Por fim, o deputado contou que, em uma conversa recente com Paulo Garcia, ele lhe confidenciou que estava muito magoado. “Já não chegam os processos que tenho que responder, aí é muita crueldade, aproveitam que hoje estou fora da prefeitura e me culpam essa questão”, relatou.

Morte

O ex-prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), morreu na madrugada do último domingo (30/7), vítima de um infarto. Ele deixou a esposa, Tereza Beiler, e dois filhos.

Médico, presidente da Unimed, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), deputado estadual, vice-prefeito e prefeito de Goiânia, Paulo Garcia deixou o comando da capital em dezembro de 2016.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.